25 de Junho de 2012 / às 17:38 / 5 anos atrás

Em meio à crise, candidatura olímpica de Madri é alvo de ataques

Por Clare Kane

MADRI, 25 Jun (Reuters) - Madri está seguindo adiante com sua terceira candidatura sucessiva para sediar os Jogos Olímpicos, embora cada vez mais espanhóis estejam questionando a despesa de vários milhões de euros no evento enquanto a crise econômica aperta os orçamentos para hospitais e escolas.

A Europa prometeu até 100 bilhões de euros (125 bilhões de dólares) em ajuda para os bancos em dificuldades da Espanha, e a crise da dívida da zona do euro ameaça empurrar o país para a necessidade de um resgate completo. A crise econômica já levou Roma a cancelar a sua candidatura olímpica para 2020.

“O país não está pronto para nada no momento, estamos prestes a resgatar nossos bancos, estamos à beira de um resgate completo. Parece-me altamente irresponsável que os políticos ainda estejam presos a esta loucura”, disse Diego Casado, que escreve para o popular blog Madri me Mata, sincero em sua oposição aos Jogos.

O Comitê de Candidatura Madri 2020 argumenta que os Jogos poderiam reviver a economia, criando entre 300.000 e 350.000 postos de trabalho diretos e indiretos, em um país onde quase um em cada quatro está desempregado.

Vários grupos, inclusive os Indignados da Espanha, cujas manifestações sentadas em praças no ano passado ajudaram a inspirar o movimento mundial de protesto “Ocupem”, dizem que se opõem aos Jogos Olímpicos. Embora poucos protestos formais aconteceram, os críticos esperam que eles aumentem conforme os cortes de gastos incomodam e a candidatura aos Jogos prossiga.

Madri ainda tem que estabelecer um valor sobre o quanto a Olimpíada custaria à Espanha, mas espera-se ser menor do que os projetados 9 bilhões de libras (14 bilhões de dólares) de dinheiro público que Londres vai gastar nos Jogos Olímpicos deste ano, e também abaixo do recorde de 42 bilhões de dólares que a China gastou nos Jogos de Pequim em 2008.

O pequeno partido de oposição União, Progresso e Democracia (UPyD), apresentou um projeto de lei para a assembleia de Madri propondo que a cidade retire sua candidatura olímpica.

“Pensamos que com a situação econômica que a Espanha está no momento e provavelmente estará no futuro --porque pensamos que esta crise vai durar um longo tempo-- esse não é o momento mais adequado para as Olimpíadas”, disse o porta-voz do UPyD Luis de Velasco.

“Os recursos são sempre limitados e se colocar recursos para os Jogos Olímpicos, há outras coisas que você não pode fazer.”

A Espanha disse que vai fazer cerca de 45 bilhões de euros (56,41 bilhões de dólares) de cortes do setor público em 2012.

Apenas em Madri, o governo prometeu economizar mais de um bilhão de euros este ano, cortando seu orçamento para festividades públicas em mais de 60 por cento. A cidade terminou 2011 com mais de 6 bilhões de euros de dívida.

Críticos da proposta de Madri mencionam Grécia, que sediou os Jogos Olímpicos de Atenas em 2004 a um custo de 15 bilhões de dólares, e agora depende de resgate da UE e do FMI para sobreviver.

NOVA BARCELONA?

O grupo Indignados disse que pode tomar uma ação futura contra as Olimpíadas.

“Se compararmos as previsões para grandes eventos anteriores com os resultados reais, descobrimos que nada mais é do que apenas sussurros”, disseram os Indignados em um relatório depois de discutirem os Jogos em uma assembleia no Puerta del Sol, no centro de Madri.

Mas Ferran Brunet Cid, professor de economia da Universidade Autônoma de Barcelona, que abriga o Centro de Estudos Olímpicos, disse que a candidatura era um investimento a longo prazo que valia a pena para Madri.

Mesmo se a cidade não sediar os Jogos de 2020, ela se beneficiaria de uma maior presença no cenário mundial com a candidatura, disse ele.

“Você tem que fazer as coisas bem, de forma excelente, e é isso que estamos perdendo (na Espanha) para ser competitivo. Você tem que ser excelente... Os Jogos também ajudam com isso”, disse ele.

Os Jogos de Barcelona de 1992 transformaram a cidade industrial em um pólo turístico europeu, e Madri, com suas inúmeras galerias de arte e atrações, poderia se beneficiar ainda mais, segundo os organizadores da campanha.

Os organizadores dizem que mais de 80 por cento das instalações esportivas e 90 por cento da infraestrutura necessária, incluindo hotéis e transporte, já existem, o que significa que “o orçamento de investimentos de órgãos públicos para os Jogos será o mais baixo da história recente”.

Brunet Cid afirmou que Jogos bem organizados poderiam criar 20.000 a 30.000 empregos permanentes.

Os organizadores argumentam que mais de 80 por cento da população espanhola apoiam os Jogos e 75 por cento dos residentes de Madri, ou seja, a cidade tem mais apoio público do que seus dois rivais para os Jogos de 2020, Istambul e Tóquio.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below