Em meio à crise, candidatura olímpica de Madri é alvo de ataques

segunda-feira, 25 de junho de 2012 14:37 BRT
 

Por Clare Kane

MADRI, 25 Jun (Reuters) - Madri está seguindo adiante com sua terceira candidatura sucessiva para sediar os Jogos Olímpicos, embora cada vez mais espanhóis estejam questionando a despesa de vários milhões de euros no evento enquanto a crise econômica aperta os orçamentos para hospitais e escolas.

A Europa prometeu até 100 bilhões de euros (125 bilhões de dólares) em ajuda para os bancos em dificuldades da Espanha, e a crise da dívida da zona do euro ameaça empurrar o país para a necessidade de um resgate completo. A crise econômica já levou Roma a cancelar a sua candidatura olímpica para 2020.

"O país não está pronto para nada no momento, estamos prestes a resgatar nossos bancos, estamos à beira de um resgate completo. Parece-me altamente irresponsável que os políticos ainda estejam presos a esta loucura", disse Diego Casado, que escreve para o popular blog Madri me Mata, sincero em sua oposição aos Jogos.

O Comitê de Candidatura Madri 2020 argumenta que os Jogos poderiam reviver a economia, criando entre 300.000 e 350.000 postos de trabalho diretos e indiretos, em um país onde quase um em cada quatro está desempregado.

Vários grupos, inclusive os Indignados da Espanha, cujas manifestações sentadas em praças no ano passado ajudaram a inspirar o movimento mundial de protesto "Ocupem", dizem que se opõem aos Jogos Olímpicos. Embora poucos protestos formais aconteceram, os críticos esperam que eles aumentem conforme os cortes de gastos incomodam e a candidatura aos Jogos prossiga.

Madri ainda tem que estabelecer um valor sobre o quanto a Olimpíada custaria à Espanha, mas espera-se ser menor do que os projetados 9 bilhões de libras (14 bilhões de dólares) de dinheiro público que Londres vai gastar nos Jogos Olímpicos deste ano, e também abaixo do recorde de 42 bilhões de dólares que a China gastou nos Jogos de Pequim em 2008.

O pequeno partido de oposição União, Progresso e Democracia (UPyD), apresentou um projeto de lei para a assembleia de Madri propondo que a cidade retire sua candidatura olímpica.

"Pensamos que com a situação econômica que a Espanha está no momento e provavelmente estará no futuro --porque pensamos que esta crise vai durar um longo tempo-- esse não é o momento mais adequado para as Olimpíadas", disse o porta-voz do UPyD Luis de Velasco.   Continuação...