Inigualável, Isinbayeva busca novas alturas em Londres

sexta-feira, 29 de junho de 2012 19:06 BRT
 

Por Alison Wildey

LONDRES, 29 Jun (Reuters) - Depois de um desencantamento com o esporte, Yelena Isinbayeva voltou a competir no auge de sua capacidade para tentar se tornar a primeira mulher a conquistar três medalhas de ouro olímpicas nos Jogos de Londres, que podem ser os seus últimos.

A incomparável russa, que acumula 28 recordes mundiais do salto com vara, está transbordando autoconfiança depois de superar os problemas com a forma que a levaram a embarcar em 11 meses sabáticos em 2010.

"Em Londres, minha principal rival será eu mesma, porque sei o quão alto consigo saltar e que essa altura é quase impossível para minhas rivais", disse a atleta de 30 anos, cujo recorde mundial é 14 centímetros mais alto que o melhor salto de qualquer outra mulher.

"Meu treinador diz que meu potencial é para 5,10 metros e além", acrescentou a russa, que terá como uma das concorrentes em Londres a brasileira Fabiana Murer, campeã mundial em Daegu, na Coreia do Sul, em 2011.

Isinbayeva marcou sua volta ao esporte em fevereiro com um recorde mundial indoor de 5,01m, superando suas adversárias em Estocolmo em 29 centímetros.

Depois ela só precisou de mais dois saltos para conquistar o campeonato mundial da modalidade em Istambul, seu primeiro grande título desde a Olimpíada de Pequim em 2008.

"Estou tão feliz quanto se fosse a primeira vez", disse ela sobre a vitória na Turquia. "Os últimos três anos me mostraram o quão importante é vencer para mim".

Imbatível desde que estabeleceu seu primeiro recorde mundial de 4,82m em Gateshead, na Inglaterra, em 2003, Isinbayeva foi mais e mais alto em sua busca por recordes e medalhas, arrebatando seis títulos mundiais e dois olímpicos.   Continuação...

 
A medalhista de ouro russa Elena Isinbayeva levanta sua bandeira nacional em um campeonato na arena Atakoy Athletics em Istanbul, na Turquia. Yelena voltou a competir no auge de sua capacidade para tentar se tornar a primeira mulher a conquistar três medalhas de ouro olímpicas nos Jogos de Londres, que podem ser os seus últimos. 11/03/2012 REUTERS/Dylan Martinez