Itália é obstáculo para Espanha ficar entre os grandes

domingo, 1 de julho de 2012 13:58 BRT
 

A Espanha não impõe uma vitória incontestável sobre a Itália, sua rival na final da Eurocopa 2012.

As duas seleções se enfrentam a partir das 15h45 (horário de Brasília) e os espanhóis não se importarão se a vitória vier na prorrogação ou na primeira decisão por pênaltis da competição, porque se levantarem o troféu se tornarão o primeiro time a vencer três grandes torneios consecutivos.

Desde que perderam para a Suíça na primeira partida da Copa do Mundo de 2010, a Espanha venceu 17 de 19 partidas, e mais um êxito pode deixá-los empatados com a Alemanha e seu recorde de três triunfos da Eurocopa.

O toque de bola fluido e empolgante que a Espanha exibiu na conquista de seus títulos da Euro 2008 e do Mundial de 2010 não tem mostrado a mesma alta qualidade no atual torneio, enquanto a adversária Itália tem sido surpreendentemente mais ousada.

Os tetracampeões mundiais, que só perderam duas de suas 19 últimas partidas na Eurocopa, têm a combinação perfeita de defesa robusta, meio-campo hábil com Andrea Pirlo e atacantes capazes de lances de gênio.

O meio-campista espanhol David Silva certamente alertará o técnico espanhol Vicente Del Bosque sobre o talento único do italiano Mario Balotelli, seu companheiro de equipe no Manchester City, cujos brilhantes dois gols para a Itália na semifinal afundaram uma Alemanha atordoada.

A Espanha torce para que o "Super Mario" não seja o destaque na grande final, a última disputa da era de 16 seleções na Euro antes de a França sediar o torneio ampliado para 24 times em 2016.

 
Torcedores da Itália posam para uma foto na área de torcedores da Eurocopa em Kiev, na Ucrânia. 1/07/2012 REUTERS/Gleb Garanich