6 de Julho de 2012 / às 16:05 / em 5 anos

Federer derrota Djokovic e vai disputar 8a final em Wimbledon

Por Martyn Herman

LONDRES, 6 Jul (Reuters) - O hexacampeão Roger Federer classificou-se para sua oitava final de Wimbledon com uma exibição de gala para derrotar o atual campeão Novak Djokovic por 6-3, 3-6, 6-4 e 6-3 nas semifinais do Grand Slam disputado na grama de Londres, nesta sexta-feira.

O suíço manteve o retrospecto de nunca ter perdido uma semifinal no All England Club com uma atuação perto da perfeição, sob o teto fechado da Quadra Central.

Depois que cada um venceu um set em menos de uma hora, o jogou ficou quente na terceira parcial.

Sacando com desvantagem de 4-5, Djokovic errou um smash e deu dois set points ao adversário. O sérvio salvou o primeiro com um forehand, mas Federer aproveitou a chance seguinte, concluindo uma sensacional troca de 20 bolas com um smash.

Djokovic não conseguiu se recuperar e teve seu serviço quebrado logo no início do quarto set, abrindo caminho para Federer buscar seu primeiro título de Wimbledon desde a vitória sobre Andy Roddick na final de 2009.

Federer controlou os nervos ao sacar pelo jogo, selando a vitória em 2 horas e 19 minutos.

“Estou em êxtase, estou muito feliz”, disse Federer imediatamente após deixar a quadra sobre aplausos do público.

“Fiz uma grande partida hoje, tem sido um torneio difícil para mim, mas consegui jogar um tênis fantástico hoje e acho que Novak jogou muito bem também”, acrescentou.

“Os dois primeiros sets foram muito rápidos e então o terceiro foi realmente fundamental, e eu consegui ir bem e talvez tenha tido um pouco de sorte porque ele também teve break points perto do fim do terceiro. Foi muito divertido hoje.”

Sobre a final contra o vencedor da semi entre o britânico Andy Murray e o francês Jo-Wilfried Tsonga --para quem perdeu nas quartas-de-final do ano passado, Federer disse: “Perdi para Jo aqui ano passado e Andy me venceu mais do que eu o venci, acho.”

“Terei uma tarefa difícil pela frente, há muita coisa em jogo porque eu posso quebrar o recorde de Grand Slams e ser o número 1 do mundo, então existe uma pressão, mas estou empolgado com isso.”

Federer, de 30 anos, vai voltar ao topo do ranking mundial se igualar o recorde de sete títulos conquistados em Wimbledon que pertence a Pete Sampras.

Reportagem de Martyn Herman

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below