6 de Julho de 2012 / às 21:50 / 5 anos atrás

ENTREVISTA-Parreira vê Brasil como favorito ao ouro em Londres

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 6 Jul (Reuters) - Com a base do grupo que deve disputar a Copa de 2014 no Brasil, a seleção brasileira entra na Olimpíada de Londres em vantagem sobre os adversários e como grande candidata a inédita medalha de ouro, segundo o ex-técnico da seleção Carlos Alberto Parreira.

Para o treinador, campeão do mundo com o Brasil em 1994, a ausência de adversários tradicionais do Brasil que não conseguiram vaga em Londres também aumenta o favoritismo da seleção comandada por Mano Menezes.

"O Brasil é a única das grandes seleções que vai a Londres com seu time principal. Ninguém tem dúvida de que Neymar, Ganso, Oscar, Marcelo, Thiago Silva vão estar na Copa daqui a dois anos. Isso é uma vantagem que coloca o Brasil como favorito", disse Parreira em entrevista à Reuters por telefone.

"Acho que chegou a hora e as chances dessa vez são muitos boas. A hora é agora", acrescentou.

O técnico, que estará em Londres como instrutor da Fifa, lembrou que grandes forças mundiais e adversários históricos do Brasil não estarão em Londres, casos de Argentina, Itália, Alemanha e Holanda.

"Uma competição sem esses adversários é sempre bom para quem está na disputa", avaliou Parreira, que minimizou a badalação em torno da Espanha, atual campeã mundial e bicampeã europeia.

"A Espanha que vai estar não tem Xavi, Iniesta, Fábregas. É um time forte, mas não é a campeã do mundo, nem da Eurocopa."

Para ele, o Uruguai é um dos grandes obstáculos do Brasil ao ouro olímpico. "É uma força e voltou a jogar um futebol bonito e competitivo. Eles estão levando artilharia pesada e optaram por três grandes jogadores como o (Edison) Cavani (atacante do Napoli), (Luis) Suárez (atacante do Liverpool) e o Arévalo (Rios, volante do Palermo)", afirmou

"É uma seleção que merece respeito e vai dar trabalho", acrescentou

A medalha de ouro é o único grande título internacional que o Brasil ainda não conquistou

Desde o início de seu trabalho na seleção, técnico Mano Menezes vinha usando a seleção principal como campo de observação de alguns jovens e o processo se intensificou recentemente.

Entre maio e junho, o Brasil fez quatro amistosos internacionais e utilizou a seleção olímpica nas vitórias sobre Dinamarca e Estados Unidos e nas derrotas para México e Argentina.

"Ali ele montou o time base e construiu ideias e estratégias para as Olimpíadas. Talvez por isso ele tenha optado por levar o Hulk, que foi titular nos quatro jogos", ressaltou Parreira, ao se referir ao atacante do Porto, que surgiu como surpresa na lista anunciada por Mano na última quinta-feira.

Além de Hulk, Mano convocou o zagueiro Thiago Silva, do Milan, e o lateral esquerdo Marcelo, do Real Madri, para as três vagas de jogadores acima de 23 anos permitidas pelas regras da Olimpíada.

A seleção brasileira começa a se preparar para os Jogos de Londres na semana que vem no Rio de Janeiro e, na outra semana, embarca para a Inglaterra. Antes da Olimpíada faz amistosos preparatórios e a Confederação Brasileira de Futebol já confirmou um amistoso com a Grã Bretanha.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below