PERFIL-Goleira dos EUA vai a Londres em busca de mais um ouro

segunda-feira, 9 de julho de 2012 15:13 BRT
 

Por Simon Evans

9 Jul (Reuters) - Peça a um norte-americano para nomear uma das jogadoras da seleção feminina de futebol do país e são grandes as chances de a goleira Hope Solo estar entre as primeiras mencionadas.

Se o futebol feminino cresceu em importância e ganhou mais exposição globalmente na última década, há poucas jogadoras, seja onde for, que desfrutem do destaque de Solo.

A jogadora, que fará 31 anos pouco antes da Olimpíada de Londres, tem vários contratos de patrocínio lucrativos, chegou aos estágios finais do popular programa de TV "Dancing with the Stars" e atuou como modelo em diversas revistas.

Todas essas atividades colocaram Solo na arena pública tanto em casa como no exterior, mas foi seu desempenho no gramado que a tornou querida entre uma geração de norte-americanos.

Com 116 jogos desde sua estreia em 2000, Solo tem uma carreira pontuada de prêmios, troféus e não poucas dificuldades e polêmicas.

No ano passado ela conquistou a Luva de Ouro de melhor goleira na Copa do Mundo e a Bola de Bronze de melhor jogadora no geral, apesar de sua seleção perder a final para o Japão na disputa de pênaltis.

Foi mais uma decepção amarga no Mundial para Solo, que foi tirada do time antes da semifinal quatro anos atrás e reagiu atacando em público a treinadora que, em certo momento, ameaçou encerrar a carreira da goleira na seleção.

A indicação da sueca Pia Sundhage como técnica da seleção dos EUA levou à sua reconvocação em 2008 a tempo de participar dos Jogos de Pequim, onde brilhou e levou os EUA ao ouro vencendo o Brasil na final.   Continuação...

 
Goleira norte-americana Hope Solo durante o jogo contra o Japão na final feminina da copa mundial, em Frankfurt, em 2011. 17/07/2011 REUTERS/Alex Domanski