Pato aposta em ouro olímpico para deixar de ser promessa

quinta-feira, 12 de julho de 2012 15:30 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 12 Jul (Reuters) - Vítima de várias lesões ao longo da carreira, o atacante Alexandre Pato disputará sua segunda Olimpíada seguida ainda dentro do limite olímpico de 23 anos, e espera que a conquista do inédito ouro possa mudar seu status de promessa para realidade dentro da seleção brasileira.

"Cheguei à seleção com 17 para 18 anos. Tenho 22, sou novo e tenho muito o que dar à seleção e ao Milan", disse o atacante a jornalistas, em entrevista coletiva no hotel no Rio de Janeiro onde o Brasil está concentrado na preparação para os Jogos de Londres.

"Tenho que aproveitar ao máximo minhas chances. Tive lesões, isso é passado. Trabalho forte e quero pensar no hoje, na seleção e ser campeão olímpico", acrescentou.

Nos Jogos de Pequim, há quatro anos, Pato era um adolescente que recém tinha aparecido no Internacional e ainda dava seus primeiros passos na seleção. Apesar de agora ser considerado um dos principais atacantes do mundo, ele ainda não estourou na seleção e ainda luta por uma vaga no time titular. Ele ficou na reserva de Leandro Damião nos quatro amistosos de preparação do time olímpico, em maio e junho, mas teve chances de entrar em campo e marcou um gol contra os Estados Unidos.

"Acho que briga não é a definição. Eu e o Damião temos a mesma mentalidade de ajudar a seleção fazendo gols e trazer o ouro olímpico", disse. "Luto desde os 11 anos quando sai de casa e estou aqui para fazer meu trabalho e ajudar a seleção. Quem vai jogar ou ficar no banco depende do Mano, mas estou preparado para jogar."

O atacante do Milan ficou bastante tempo parado na última temporada em razão de lesões quase consecutivas, que também o afastaram da seleção brasileira.

O jogador disse que a contusão o tornou mais forte na busca por seus objetivos. "Todo o período da lesão minha família ficou perto de mim, isso era o que eu precisava e me ajudou e foi muito importante. Fisicamente me sinto mais forte e mentalmente também."

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

 
Alexandre Pato, do Milan, comemora após marcar gol contra o Barcelona na partida da Liga dos Campeões do grupo H, em Barcelona, em setembro de 2011. Vítima de várias lesões ao longo da carreira, Pato disputará sua segunda Olimpíada seguida ainda dentro do limite olímpico de 23 anos, e espera que a conquista do inédito ouro possa mudar seu status de promessa para realidade dentro da seleção brasileira. 13/09/2011 REUTERS/Gustau Nacarino