John Terry é absolvido de ofensa racial contra Anton Ferdinand

sexta-feira, 13 de julho de 2012 12:37 BRT
 

Por Mike Collett

LONDRES, 13 Jul (Reuters) - O ex-capitão da seleção da Inglaterra John Terry foi considerado inocente nesta sexta-feira da acusação de discriminação racial contra o colega de equipe Anton Ferdinand depois de cinco dias de audiência, que chamou a atenção para o racismo no futebol e poderia ter tido um grande impacto em sua carreira.

O capitão do Chelsea de 31 anos, que ganha relatadas 150.000 libras (231.100 dólares) por semana, ouviu o magistrado-chefe Howard Riddle ler seu veredicto no Tribunal de Magistrados de Westminster.

O caso de grande alcance, com foco na linguagem chula de ambos os jogadores durante um jogo da Premier League em outubro passado, provocou a demissão em fevereiro do técnico da Inglaterra, o italiano Fabio Capello, após a FA decidir retirar de Terry a braçadeira de capitão para a Euro 2012.

Terry negou ter cometido uma "perturbação da ordem pública com agravante racial" quando ele teve um bate-boca cheio de palavrões com Ferdinand no campo, quando o Chelsea jogou contra o QPR.

Embora tenha admitido o uso das palavras altamente ofensivas, Terry sustentou que apenas repetia de forma sarcástica o que Ferdinand equivocadamente pensou que ele tinha dito.

Durante o interrogatório, Ferdinand concordou que ele havia xingado jogadores no passado e que também já tinha sido xingado. Ele fez alusão a um suposto romance entre o jogador do Chelsea e a ex-namorada do ex-companheiro de equipe na Inglaterra Wayne Bridge.

Denúncias de racismo marcaram a Premier League na temporada passada, com Luis Suarez, do Liverpool, suspenso por oito partidas por ofender Patrice Evra do Manchester United, durante outra partida da Premier League em outubro passado.

Esse caso foi tratado pela FA e não por um tribunal.

"A alegação muito grave no centro deste caso foi de racismo. Foi a nossa visão de que isto não era 'brincadeira' no campo de futebol e que a alegação deveria ser julgada por um tribunal", disse Alison Saunders, procurador-chefe de Londres.

"O magistrado-chefe concordou que o Sr. Terry teve um caso para responder, mas tendo ouvido todas as provas, ele absolveu Terry de uma ofensa racial agravada. Essa é a justiça que está sendo feita e nós respeitamos a decisão do magistrado-chefe."