ENTREVISTA-Brasil não vai copiar, mas aprender a enfrentar Espanha--Mano

sexta-feira, 13 de julho de 2012 13:44 BRT
 

Por Pedro Fonseca e Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 13 Jul (Reuters) - Campeã mundial e bicampeã da Europa, a Espanha tornou-se uma referência para o futebol mundial, inclusive para o Brasil. A seleção brasileira, sempre vista como o adversário a ser batido, está agora se adaptando à nova escola espanhola, mas não vai imitar o estilo de jogo da "Fúria", afirmou o técnico Mano Menezes.

Em entrevista à Reuters durante a preparação da seleção para os Jogos Olímpicos de Londres, em que o Brasil terá a Espanha como grande concorrente à medalha de ouro, o treinador não escondeu sua admiração pelo futebol de passes rápidos, posse de bola prolongada e variações táticas da "Fúria".

Garantiu, no entanto, que apesar de buscar inspiração nos espanhóis, o Brasil tem um estilo próprio de jogar, em que seria impossível abrir mão de atacantes de ofício, como a Espanha tem feito.

"Não temos que copiar a Espanha, temos que estudar como enfrentar", disse Mano na noite de quinta-feira, no hotel onde a seleção está concentrada durante período de treinos no Rio de Janeiro.

"Se o nosso futebol sempre foi baseado nos atacantes e culturalmente é assim que a nossa torcida gosta de ver a seleção jogar, não vejo por que abrir mão disso só porque a Espanha foi exitosa. Temos que encontrar uma maneira de ganhar com atacantes", acrescentou o treinador, que fez uma profunda avaliação tática sobre a seleção espanhola.

Durante a campanha que culminou com a conquista da Euro 2012 na Ucrânia e na Polônia, em junho e julho, a Espanha atuou com formações diferentes dependendo dos adversários. Em alguns jogos, a equipe entrou em campo sem atacante, o que não significou, de forma alguma, que não passou a maior parte do jogo atacando.

O time olímpico espanhol segue o mesmo padrão de jogo. A base da equipe vem da seleção que conquistou o título europeu sub-21 no ano passado, com o reforço do trio que venceu a Euro 2012 Jordi Alba (recém-contratado pelo Barcelona), Juan Mata e Javi Martínez.

Segundo Mano, mais importante do que tentar imitar a forma de jogar da Espanha é aprender com eles a implantar uma filosofia de trabalho duradoura.   Continuação...

 
Técnico da seleção brasileira, Mano Menezes, durante treino da equipe no Rio de Janeiro, durante período de preparação para os Jogos Olímpicos de Londres. 11/07/2012 REUTERS/Sergio Moraes