14 de Julho de 2012 / às 18:23 / em 5 anos

Uma Vila no nome, se não na realidade

Vista do Victory Park, na Vila Olímpica construída para os Jogos Olímpicos de Londres, no bairro de Stratford, em Londres. Quando a primeira leva de atletas chegar à Vila Olímpica segunda-feira, eles irão encontrar um novo lar que pouco se parece com qualquer coisa da zona rural inglesa. 30/06/2012Olivia Harris

Por Alan Baldwin

LONDRES, 14 Jul (Reuters) - Quando a primeira leva de atletas chegar à Vila Olímpica segunda-feira, eles irão encontrar um novo lar que pouco se parece com qualquer coisa da zona rural inglesa.

Em termos de tamanho físico, pode ser a definição estrita de um lugar maior que uma aldeia e menor que uma cidade.

A espécie de vila familiar que atravessou épocas na literatura de ficção --patos na lagoa, críquete na grama verde, sino na igreja e pessoas da região apreciando uma cerveja do lado de fora do pub numa tarde de verão-- definitivamente não é.

Há um pub, mas ele não serve álcool. O verde da paisagem é rodeado por modernos blocos de apartamentos e uma igreja que é um centro multi-fé.

Há espaços verdes, piscinas úmidas e flores silvestres, mas não há fazendas ou campos além do perímetro da cerca de arame, apenas a corajosa realidade de uma das regiões mais pobres do leste de Londres. O centro da cidade está a apenas sete minutos de trem.

Nada disso importa para os principais atletas do mundo, para os quais a maior prioridade será uma boa noite de sono, comida sob demanda e transporte confiável para locais de fácil acesso.

Nestes três pontos, e ainda mais considerando as facilidades de recreação, a Vila preenche todos os requisitos, mesmo que o mundo real pare no estilo de segurança dos postos de controle dos aeroportos.

"Isso bate um Club Med", afirmou o prefeito de Londres, Boris Johnson, em uma típica declaração rude e patriótica durante uma recente visita.

O principal refeitório aqui é grande o suficiente para atender a maioria dos hóspedes de uma só vez e servir uma gama de comidas de todos os cantos do mundo.

A maior cantina Grã-Bretanha é a maior instalação do gênero no mundo fora da área militar.

"Você pode colocar 880 ônibus de dois andares aqui", disse a jornalistas em uma visita recente Janet Mathews --chefe de alimentação e limpeza da organização, que trabalhou anteriormente para o exército britânico na Alemanha.

"Então 5.000 pessoas podem se sentar e durante os Jogos estaremos funcionando 24 horas por dia, sete dias por semana."

Os organizadores dos Jogos, sempre prontos com estatísticas, dizem esperar que 1.300 tipos de pratos diferentes sejam servidos durante as Olimpíadas.

Serão 25 mil pães, 232 toneladas de batatas, 75 mil litros de leite e mais de 330 toneladas de frutas e vegetais.

Em sua capacidade plena, a Vila irá abrigar mais de 16 mil atletas e dirigentes de 203 países mais uma força de trabalho de mais de 7.500 pessoas. Haverá até 3.500 visitantes por dia.

A Vila custou cerca de 1,1 bilhão de libras (cerca de 1,7 bilhões) de recursos públicos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below