Partido de direita grego rejeita expulsão de atleta na Olimpíada

quinta-feira, 26 de julho de 2012 09:17 BRT
 

ATENAS, 26 Jul (Reuters) - O partido de direita grego Aurora Dourada criticou nesta quinta-feira a expulsão de uma atleta da Olimpíada de Londres por causa de um tuíte anti-Africano, dizendo que isso reflete um "racismo contra os gregos".

Paraskevi Papachristou, praticante do salto triplo, foi retirada da seleção grega na quarta-feira depois de causar revolta em seu país com um comentário sobre o vírus do Nilo Ocidental e o número de africanos na Grécia, o que foi visto como racista.

O Aurora Dourada, que surfou na onda do sentimento anti-imigrante na Grécia traumatizada pelas medidas de austeridade e surpreendeu conquistando vagas no parlamento no mês passado, protestou contra sua exclusão.

"O único racismo na Grécia é o racismo contra os gregos", afirmou o partido em seu site, que também mostra uma fotografia de Papachristou com uma grande bandeira grega.

"Qualquer um que diga sequer uma palavra contra imigrantes ilegais é publicamente ridicularizado", acrescentou a agremiação.

"Seria mais honesto aprovar uma lei condenando qualquer um que tenha visões diferentes sobre a morte por apedrejamento".

Vários outros partidos pequenos e políticos também criticaram a decisão da equipe olímpica, dizendo ter sido excessiva.

"Acredito que foi exagerado expulsar Papachristou, especialmente depois que ela se desculpou", tuitou Adonis Georgiadis, um parlamentar conservador.

Mas outros defenderam a decisão. "Sua desculpa foi da boca para fora", afirmou o jornal Ta Nea, o maior da Grécia, em um editorial.

Outros veículos de mídia também criticaram Papachristou por tuítes nacionalistas no mês passado, entre eles um no qual ela supostamente saudou Ilias Kasidiaris, porta-voz do Aurora Dourada, e desejou que ele continue sendo "verdadeiro".

(Por Harry Papachristou)