CURTAS-Romero Britto é barrado em inauguração da Casa Brasil

quinta-feira, 26 de julho de 2012 18:34 BRT
 

LONDRES, 26 Jul (Reuters) - O renomado artista plástico brasileiro Romero Britto, autor de um retrato da presidente Dilma Rousseff entregue em cerimônia no Palácio do Planalto logo após a posse, ficou barrado nesta quinta-feira do lado de fora na inauguração da Casa Brasil, um espaço dedicado ao país em Londres durante os Jogos Olímpicos.

Britto chegou atrasado ao evento, depois que a presidente e toda a sua comitiva já estavam visitando o local, e não conseguiu convencer os seguranças a abrir o portão. Após alguns minutos barrado, o artista decidiu ir embora.

"Vou dar uma voltinha e depois eu volto", disse ele à Reuters. No entanto, não foi possível vê-lo no interior do local até o encerramento do evento. Junto com Brito estava a secretária estadual de Esportes do Rio, Marcia Lins.

PAREDE DE CHITA

Dilma, que teve uma agenda cheia em Londres com direito a visita ao Museu da Ciência de Londres e um encontro com presidentes de empresas britânicas com investimentos no Brasil, atrasou a inauguração da Casa, prevista para às 20:16 -- referência aos Jogos de 2016. Quando a presidente chegou, já passavam das 20:30.

Ao deixar o local, perguntada pela imprensa brasileira o que tinha achado, Dilma fez vários elogios à exposição sobre o Brasil. "Gostei de tudo, para citar uma é a parede de chita", disse, em referência à parede de tecido.

MESTRE HAVELANGE

Ao sair de encontro com Dilma, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, não escapou de ser perguntado sobre os escândalos de corrupção na entidade envolvendo os brasileiros Ricardo Teixeira e João Havelange. Sobre Teixeira, não disse nada, mas fez elogios a seu antecessor Havelange.

"Eu tive um grande mestre em João Havelange. Trabalhei com ele por 23 anos e tive um grande prazer. Não estou aqui para julgá-lo, ele tem todo o meu respeito."

(Reportagem de Pedro Fonseca; Edição de Tatiana Ramil)