Basquete dos EUA prefere ouro a rótulo de "Time dos Sonhos"

sexta-feira, 27 de julho de 2012 18:02 BRT
 

Por Larry Fine

LONDRES, 27 Jul (Reuters) - Repleta de estrelas, a seleção de basquete masculina dos EUA preferia não receber o rótulo de "Time dos Sonhos", e sim encontrar sua própria identidade como vencedora do ouro olímpico na Olimpíada de Londres.

Muito se tem falado sobre como o time, que tem vários talentos de ponta da NBA, liga norte-americana de basquete, se compara com o "Dream Team" original dos Jogos de 1992, que incluía 11 futuros jogadoras do Hall da Fama.

"Time dos Sonhos? Não nos comparamos a eles", disse LeBron James nesta sexta-feira em uma coletiva de imprensa lotada. "Eles foram um grande time, e sentimos que também podemos nos tornar um grande time, fim da história."

Os norte-americanos são favoritos com folga para repetir o triunfo dos Jogos de Pequim em 2008 no torneio que começa no domingo, mas não subestimam o desafio das outras 12 seleções.

A Espanha, vice-campeã na China, a Argentina, campeã de 2004, o Brasil e a França, que irá enfrentar os EUA no domingo, têm vários talentos oriundos da NBA e uma coesão que pode preocupar os norte-americanos.

Embora seja um time de notáveis como James, Kobe Bryant e Kevin Durant, o técnico Mike Krzyzewski descartou comparações com a equipe de 1992, que contava com Michael Jordan, Magic Johnson e Larry Bird e inaugurou a era de jogadores da NBA competindo na Olimpíada.

"Não nos consideramos um Time dos Sonhos, mas o time dos Estados Unidos. Acho que só houve um Time dos Sonhos", declarou Krzyzewski, que foi técnico assistente da seleção de 1992 em Barcelona.

Aquela equipe passeou por seus oito jogos com uma vantagem média de 43 pontos, mas o técnico dos EUA disse que o nível de competição ficou mais duro desde então.   Continuação...