Na última chance, Thiago finalmente sobe ao pódio dos 400m medley

sábado, 28 de julho de 2012 18:12 BRT
 

Por Pedro Fonseca

LONDRES, 28 Jul (Reuters) - Até Thiago Pereira achava que jamais teria condições de chegar ao pódio dos 400 metros medley competindo sempre contra nomes como Michael Phelps, Ryan Lochte e Laslo Csech. Ainda bem para o Brasil que ele mudou de ideia.

Desde sua estreia olímpica nos Jogos de Atenas-2004, Thiago estava acostumado a ser batido pelos mesmos adversários --os norte-americanos Lochte, Phelps e o húngaro Laszlo Cseh-- nas provas de medley disputadas pelo mundo. Com os três no pódio, o brasileiro estava sempre por perto mas sem conseguir subir.

Foram três 4o lugares consecutivos em provas importantes: 200m em Pequim-2008 e no Mundial de Roma em 2010 e nos 400m também em Roma.

Tantas decepções o levaram a cogitar abandonar os 400m após Roma para se concentrar nos 200m. A revanche deste sábado, inclusive deixando o bicampeão olímpico da prova Phelps fora do pódio, só aconteceu depois que Thiago mudou de ideia e decidiu se dar uma última chance.

"Agora acabou, quem não me viu nos 400m não vai ver mais", disse o aliviado nadador brasileiro, que tinha a carreira marcada por muitas medalhas em Jogos Pan-Americanos mas sem nunca ter ido ao pódio olímpico.

"Os três adversários que eu tenho não são quaisquer adversários. Eu estava sempre batalhando contra três dos melhores nadadores do mundo", afirmou Thiago a jornalistas após chegar em 2o lugar na final olímpica, atrás apenas do campeão Lochte. O japonês Kosuke Hagino ficou em 3o e Phelps foi o 4o.

"Sempre disse que estava feliz de fazer parte dessa geração com esses três sempre nas finais do medley e sempre disse que se fosse para ganhar eu queria que fosse contra eles. Não poderia ser melhor do que foi hoje, disputando com Lochte, Phelps e Laszlo", destacou.

Phelps, dono do ouro nos 400m medley em Atenas-2004 e Pequim-2008, terminou apenas em 4o lugar, após ter quase ficado de fora da final das eliminatórias da manhã -- se classificou com o 8o e último tempo. Cseh, medalhista de prata na última Olimpíada, não teve a mesma sorte e, por 0s07, ficou fora da final.   Continuação...