Brasileira perde por pouco classificação na canoagem

segunda-feira, 30 de julho de 2012 18:03 BRT
 

Por Martyn Herman

WALTHAM CROSS, Inglaterra, 30 Jul (Reuters) - Primeira canoísta brasileira na Olimpíada, Ana Sátila sofreu uma decepção nesta segunda-feira após comemorar sua chegada à semifinal da competição K1 na modalidade slalom.

A atleta de 16 anos, do Paraná, que treina próximo às Cataratas do Iguaçu, pensou ter ficado entre as 15 melhores depois de uma ótima segunda bateria, mas seu técnico errou os cálculos.

Ela terminou em 16o, ficando fora da semifinal de quinta-feira por apenas um segundo.

"Foi um momento muito difícil quando ouvi que não tinha conseguido", disse Sátila, que havia pintado a bandeira brasileira nas unhas, falando aos repórteres ao lado de seu técnico, o italiano Ettore Ivaldi.

"Foi por pouco, fiquei de fora por causa de um erro minúsculo. Mas tive uma grande experiência e agora quero inspirar mais brasileiros a competir na canoa slalom no Rio."

"Estarei com 20 anos e bem mais experiente. Quero conquistar o ouro para o Brasil lá."

Sátila, que errou um portão em sua primeira descida pelo rio artificial de 300m do centro aquático Lee Valley White Water, pagou o preço por roçar em um poste que lhe custou uma penalidade de dois segundos. "Eu mal esbarrei nele", disse ela.

Apesar da decepção, a mais jovem atleta da delegação de 200 brasileiros deixa os Jogos com boas lembranças.

Seus esforços também serão lembrados pelos 12 mil espectadores que torceram muito quando ela remou ao encontro da água borbulhante para atravessar um portão que havia errado na primeira passagem.

'Estou muito feliz e orgulhosa por ter sido a atleta mais jovem da equipe, mas mais por representar meu país', disse uma sorridente Sátila, cujo pai foi pugilista.