Tiago Camilo sofre com "judô feio" e fica sem medalha pela 1a vez

quarta-feira, 1 de agosto de 2012 16:46 BRT
 

Por Pedro Fonseca

LONDRES, 1 Ago (Reuters) - Com preferência pelo ippon, Tiago Camilo sofreu com o jogo tático de seus adversários - classificado pelo brasileiro como "feio" - e perdeu as duas lutas que poderiam levá-lo ao pódio olímpico pela terceira vez em sua terceira Olimpíada nesta quarta-feira.

O judoca começou a Olimpíada de Londres com duas vitórias por ippon e reviveu as lembranças do título mundial conquistado em 2007 só com vitórias pela pontuação máxima do judô. No entanto, foi mais um judoca brasileiro favorito a subir ao pódio que não conseguiu atingir o objetivo, assim como o líder do ranking mundial Leandro Guilheiro na véspera.

Os brasileiros, considerados lutadores técnicos que buscam sempre a pegada no alto do quimono do adversário, sofreram contra adversários que dificultaram seu estilo de lutar. Numa comparação com o futebol, os adversários jogam na retranca contra os brasileiros buscando um gol no contra-ataque, segundo os judocas.

"Todo mundo luta com a regra e o judô acaba ficando feio. Eu busco o ippon sempre. O que me dá prazer é dar ippon", disse Camilo, que derrotou o ucraniano Roman Gontiuk e o italiano Roberto Meloli com ippons em seus dois primeiros combates na categoria médio (até 90kg).

"Mas jogar com a regra é do esporte e é valido também", acrescentou o judoca, de 30 anos, que conquistou suas duas medalhas olímpicas em categorias diferentes, entre os leves (até 73kg) nos Jogos de Sydney e entre os meio-médios (até 81kg) em Pequim.

Ao longo das Olimpíadas muitas lutas da competição de judô foram decididas por punições ou na decisão dos juízes e poucos combates acabaram em ippons, em todas as categorias. A favor do Brasil, Sarah Menezes conquistou seu ouro na categoria ligeiro (até 48kh) sem aplicar nenhum ippon.

Com o início arrasador nesta quarta, Camilo, medalha de prata nos Jogos de Sydney-2000 e de bronze em Pequim-2008, despontou como um diferencial, mas seu estilo só encaixou até a luta das quartas de final, que foi vencida por ele contra o uzbeque Dilshod Shoriev justamente após punições impostas ao adversário.

A partir daí o brasileiro teve duas lutas valendo medalha -- a semifinal contra o sul-coreano Dae-Nam Song e a disputa do bronze contra o grego Ilias Iliados, atual número um do mundo-- mas foi batido em ambas e desabou em lágrimas de frustração pelas oportunidades desperdiçadas.   Continuação...

 
O grego Ilias Iliadis luta contra o brasileiro Tiago Camilo (esquerda) numa partida nos Jogos Olímpicos de 2012 em Londres, no Reino Unido. 01/08/2012 REUTERS/Kim Kyung-Hoon