Esgrimista venezuelano Limardo leva ouro e agradece Chávez

quinta-feira, 2 de agosto de 2012 10:14 BRT
 

Por Daniel Wallis

CARACAS, 2 Ago (Reuters) - O esgrimista Ruben Limardo agradeceu o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, depois de encerrar a seca de medalhas de 44 anos do país com a vitória na competição de espada na Olimpíada na quarta-feira, dizendo que o líder socialista o ajudou a conquistar seu sonho.

Os venezuelanos comemoraram a primeira medalha do país na esgrima, e sua primeira nos Jogos de Londres, quando Limardo derrotou o norte-americano Seth Kelsey e o norueguês Bartosz Piasecki.

Chávez, em campanha para mais um mandato de seis anos na eleição de 7 de outubro, fez coro com a alegria da vitória durante uma longa coletiva de imprensa televisionada, sorrindo quando um telefonema de Limardo foi transferido a ele.

"Estou muito feliz, irmão, filho desta pátria", disse-lhe Chávez. "Aí estão os resultados! Com o trabalho de nossa geração de atletas de ouro. Que orgulho, que emoção patriótica!"

Na linha barulhenta, um Limardo claramente emocionado agradeceu o mandatário: "Graças a você, realmente realizei meu sonho... agora continuamos a fortalecer nossos esforços para mais medalhas olímpicas."

Sua vitória surpreendente criou um breve momento de unidade em uma nação profundamente polarizada adiante da eleição. Chávez e seu rival, Henrique Capriles Radonski, acusam um ao outro de jogo baixo durante a amarga campanha, e muitos venezuelanos ficaram felizes de se concentrar em boas notícias vindas do exterior.

Sites de mídias sociais foram inundados com fotos da vitória, e estações de TV locais repetiram o vídeo de seu feito e da cerimônia de premiação, que incluiu o hino da Venezuela.

Chávez, que brincou dizendo que seu vice-presidente mal tinha nascido da última vez que a Venezuela conquistou uma medalha, afirmou que muito do crédito vai para a equipe de esgrima, seus treinadores "e todo esse exército invisível que permitiu a Ruben Limardo chegar a Londres, vencer todas as batalhas e nos trazer essa honra".