Investidores chineses compram ações da Inter de Milão

quinta-feira, 2 de agosto de 2012 10:27 BRT
 

Por Lisa Jucca

MILÃO, 2 Ago (Reuters) - Um grupo de investidores chineses vai pagar 55 milhões de euros(67 milhões de dólares) por uma participação de 15 por cento na Inter de Milão, tornando-se o segundo maior acionista do clube de futebol da primeira divisão italiana, disseram fontes próximas à situação.

O acordo dará ao clube de 104 anos um novo estádio, que será construído pela China Railway Construction Corp, a principal parceira no primeiro investimento desse tipo da China continental em uma grande equipe esportiva estrangeira.

A companhia de marketing esportivo asiática QLS terá uma participação simbólica, uma das fontes disse.

"A Internazionale FC saúda os novos acionistas", afirmou o clube em comunicado, sem identificar os investidores chineses.

A Inter de Milão não divulgou detalhes financeiros do acordo. A China Railway vai construir o novo estádio até 2017, segundo o Inter.

Uma das fontes familiarizadas com a situação disse que o acordo prevê mais investidores asiáticos tendo participações na Inter de Milão eventualmente, apesar de que a família Moratti irá manter o controle majoritário.

"O objetivo principal é construir um novo estádio, que é realmente sobre isso que é o acordo com a China Railway", afirmou o presidente e proprietário da Inter, Massimo Moratti.

Investidores chineses, incentivados pelo governo, têm buscado intensamente ativos no exterior nos últimos anos. Algumas compras de alta visibilidade incluem a aquisição da fabricante de cereais Weetabix pela China Bright Food e um acordo do Dalian Wanda Group para comprar a rede de cinemas norte-americano AMC Theatres, ambos em maio.

Uma porta-voz do conselho da cidade de Milão disse que não houve decisão ainda sobre quando o novo estádio da Inter de Milão poderia ser construído. Qualquer decisão teria de passar pelo longo processo de licitação da Itália.

(Reportagem de Silvia Aloisi, Lisa Jucca e Stephen Jewkes,em Milão, Sally Huang, em Pequim, e John Ruwitch, em Xangai)