CURTAS-Cielo reclama que entrevistas "seguram demais"

quinta-feira, 2 de agosto de 2012 18:44 BRT
 

LONDRES, 2 Ago (Reuters) - Cada vez que sai da piscina do Centro Aquático de Londres Cesar Cielo é obrigado a enfrentar um batalhão de jornalistas. Divididos por setores --TVs ao vivo, outras TVs e rádios e imprensa escrita em geral-- as perguntas quase sempre se repetem, o que levou o nadador a reclamar nesta quinta-feira.

Após as eliminatórias dos 50m livre, disputadas pela manhã, Cielo ficou por vários minutos no setor das TVs e rádios e, com pressa para deixar a zona de entrevistas para descansar, respondeu a apenas duas perguntas dos jornalistas da imprensa escrita. Cobrado a atender outros repórteres, ele reclamou que as TVs o "seguram tempo demais".

FIM DO JEJUM?

Mais um boxeador brasileiro avançou para as quartas de final dos Jogos Olímpicos e está a uma vitória de garantir uma medalha, que seria a primeira da modalidade em Olimpíadas desde 1968, com Servílio de Oliveira, na Cidade do México.

Esquiva Florentino, que é filho de um pugilista e cujo nome representa um movimento da luta, derrotou Soltan Migitinov, do Azerbaijão, por 24 a 11 e avançou para as quartas de final do peso médio (até 75kg). Robenilson de Jesus, no peso galo (até 56kg), já tinha se classificado também para as quartas de final.

O Brasil também tem expectativa de um bom desempenho no boxe com o atual campeão mundial dos pesos meio-médio ligeiro (até 64kg) Everton Lopes, que ainda não estreou em Londres.

INCENTIVO

Após ser derrotada pela arquirrival norte-americana Kayla Harrison, a judoca Mayra Aguiar nem teve tempo de colocar para fora a vontade de chorar. Mal saiu do tatame ela deu de cara com o campeão olímpico Aurélio Miguel, que a fez esquecer a derrota na semifinal para focar na disputa do bronze que aconteceria dentro de minutos.

Leandro Guilheiro, dono de duas medalhas olímpicos e que foi eliminado em Londres, também apareceu para levantar a jovem judoca, que vai completar 21 anos na sexta-feira. A operação de motivação deu certo. Mayra venceu a holandesa Marhinde Verkerk e conquistou a terceira medalha do judô brasileiro nos Jogos.

(Reportagem de Pedro Fonseca; Edição de Tatiana Ramil)