3 de Agosto de 2012 / às 19:48 / 5 anos atrás

Jogos do Rio terão menos assentos vazios, diz organizador

Por Karolos Grohmann

LONDRES, Aug (Reuters) - A Olimpíada do Rio de Janeiro de 2016 terá menos assentos vazios do que Londres, disse Leonardo Gryner, diretor-geral do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos do Rio nesta sexta-feira. Um plano será implementado para evitar o problema que eclipsou o início dos Jogos na capital britânica.

A questão dos estádios esvaziados se revelou uma dor de cabeça para os organizadores de Londres, que conduziu uma venda de ingressos complexa mais de um ano atrás para tentar evitar o problema, também ocorrido nos Jogos de Pequim quatro anos atrás.

Entretanto, milhares de cadeiras reservadas para patrocinadores, federações internacionais e familiares de atletas ficaram sem uso nos primeiro dias dos Jogos, forçando a organização a convocar voluntários e soldados para preenchê-las.

"Conseguiremos um resultado muito melhor no Rio do que Londres tem tido até agora", declarou Gryner aos repórteres. "Estamos tentando reduzir radicalmente o problema dos assentos vazios."

Os organizadores de Londres pediram àqueles que não pretendem usar seus ingressos que desistam deles, e diminuiram as vagas das autoridades em um esforço para disponibilizar mais bilhetes ao público, que os busca desesperadamente.

Mas um de cada cinco cadeiras credenciadas continuava vazia na quinta-feira.

"Não é um problema exclusivamente em Londres", disse Gryner. "É um desafio para todos os comitês organizadores", disse.

"Temos um programa chamado 'preencha os estádios'. Temos algumas ideias para mantê-los cheios o tempo todo. Há vários mecanismos que serão postos em funcionamento", disse.

'Esperamos ser melhores que Londres, mas não é um desafio fácil', afirmou Gryner, que não deu detalhes precisos sobre como o Rio irá lidar com o problema.

Mas as cadeiras vazias parecem ser uma dificuldade a ser abordada mais adiante, já que os atrasos nas construções e dúvidas relativas as custos assombram a primeira Olimpíada realizada na América do Sul. O Brasil também sediará a Copa do Mundo de 2014.

Os organizadores se recusaram a especular sobre o orçamento total dos Jogos, que em Londres chegou a 9 bilhões de libras (14,04 bilhões de dólares).

Eduardo Paes, prefeito do Rio, disse ainda não haver um orçamento definitivo.

"Não podemos dar o custo total, porque alguns projetos ainda estão sendo definidos", declarou Paes.

"Só podemos revelar o custo da Olimpíada quando tudo estiver pronto. Tudo depende dos projetos."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below