Apagão de 10 minutos tira Brasil da Olimpíada no handebol

terça-feira, 7 de agosto de 2012 09:15 BRT
 

Por Pedro Fonseca

LONDRES, 7 Ago (Reuters) - Dez minutos sem fazer um gol sequer no segundo tempo custaram à seleção brasileira feminina de handebol uma vaga inédita em uma semifinal de Olimpíada. A derrota diante da atual campeã olímpica Noruega por 21 x 19, nesta terça-feira, em um jogo que as brasileiras chegaram a abrir 6 gols de vantagem na etapa final, deixou a equipe fora da disputa por medalha.

O Brasil, que abriu liderança de 15 x 9 no início do segundo tempo, viu ruir o sonho de disputar pela primeira vez uma medalha no handebol em Jogos Olímpicos ao ficar dos 13 aos 23 minutos da etapa final sem marcar um gol, o que permitiu às noruegueses virar o jogo e mandar as brasileiras de volta para casa.

"O resultado foi o que foi devido aos nossos erros. A Noruega não ganhou, foi o Brasil que perdeu", lamentou após a partida a pivô Dara, sem conter as lágrimas pela frustração com a derrota.

"Agora são mais quatro anos de trabalho para ter uma nova chance. A gente perdeu uma oportunidade. A gente tinha que entrar (no 2o tempo) para matar, a cobra estava quase morta e tinha que terminar de matar, e não foi realmente o que a gente fez."

A Noruega, que além de campeã olímpica é atual campeã mundial e europeia, chegou aos Jogos Olímpicos como maior favorita ao ouro, mas foi surpreendentemente mal na primeira fase e terminou apenas no 4o lugar de seu grupo.

Já a seleção brasileira, que tinha a expectativa de melhorar na Olimpíada o 5o lugar obtido no Mundial realizado em casa no ano passado, terminou a sua chave em primeiro, com 4 vitórias em 5 jogos, e tinha confiança que poderia buscar um resultado inédito para o país na competição.

Com 13 das 14 jogadoras da seleção atuando em clubes europeus e um técnico dinamarquês, Morten Soubak, --dois fatores que levaram o país a mudar de status nos últimos anos e passar a jogar de igual para igual contra as maiores potências do esporte-- a equipe se culpou bastante pelos inúmeros ataques desperdiçados.

Tanto as jogadores como Soubak, no entanto, descartaram que tenha havido qualquer influência emocional no resultado da partida, por estarem enfrentando as atuais campeãs, e ressaltaram a eficiência da defesa e do contra-ataque adversário a cada arremesso perdido pelo Brasil.   Continuação...

 
Goleira do Brasil Chana Masson (C) parabeniza jogadoras da Noruega após partida das quartas de final do handebol feminino durante os Jogos Olímpicos de Londres. Dez minutos sem fazer um gol sequer no segundo tempo custaram à seleção brasileira feminina de handebol uma vaga inédita em uma semifinal de Olimpíada. 07/08/2012 REUTERS/Marko Djurica