Sucesso de escoceses na Olimpíada cria cisão com britânicos

quarta-feira, 8 de agosto de 2012 11:44 BRT
 

Por Mohammed Abbas

LONDRES, 8 Ago (Reuters) - Alguns os chamam de "escolímpicos" da Escócia, outros dizem serem todos britânicos e ponto final.

O desempenho impressionante da Escócia na delegação olímpcica britânica --terceira no quadro de medalhas-- arrastou o mundo do esporte a uma escaramuça olímpica em torno do anseio escocês por independência.

Os atletas escoceses conquistaram 11 das 48 medalhas da Grã-Bretanha e igualaram os sete ouros dos alemães e dos italianos. Nada mal para um país de cerca de cinco milhões de pessoas --menos de um décimo da população britânica.

O Partido Nacional Escocês (SNP na sigla em inglês), que controla o governo da Escócia, planeja realizar um referendo sobre a separação em 2014, e em um vídeo desejando boa sorte aos atletas políticos do SNP evitaram a palavra "Grã-Bretanha".

"Os olhos do mundo estão na Olimpíada, e toda a Escócia está unida no apoio a nossos atletas e paratletas olímpicos --nossos 'escolímpicos'-- em busca do ouro", disse Alex Salmond, primeiro-ministro escocês e líder do SNP.

Infelizmente para Salmond, Andy Murray, estrela do tênis escocês e um dos mais destacados medalhistas de ouro da Grã-Bretanha nos Jogos, se embrulhou na bandeira britânica na cerimônia de premiação de domingo, despertando comentários triunfantes de unionistas.

"Andy Murray, grande escocês e campeão olímpico, erguendo a medalha de ouro e orgulhosamente envolto na bandeira britânica - engula esse sapo, Alex Salmond!", tuitou o unionista e parlamentar conservador Struan Stevenson, que representa a Escócia no Parlamento Europeu.

"Enquanto assistimos a Andy Murray cantar nosso hino nacional, nunca se esqueçam de que há nacionalistas de mente pequena que querem destruir a delegação britânica", tuitou o parlamentar escocês Murdo Fraser.

De sua parte, Salmond afirmou que a vitória de Murray "deveria deixar todos na Escócia extremamente orgulhosos", enquanto seu partido classificou a auto-congratulação unionista como tentativa "pueril" de politizar os Jogos.

"É um sinal de desespero, e eles fariam melhor só assistindo aos Jogos", afirmou o SNP em um comunicado.