Nova final faz de Bernardinho recordista de pódios no Brasil

sexta-feira, 10 de agosto de 2012 19:59 BRT
 

Por Pedro Fonseca

LONDRES, 10 Ago (Reuters) - A terceira final olímpica seguida da seleção brasileira masculina de vôlei faz do técnico Bernardinho o maior medalhista do Brasil em Jogos Olímpicos, com um pódio como jogador e cinco como técnico.

As seis medalhas superam os velejadores Torben Grael e Robert Scheidt, que são os maiores ganhadores entre os atletas com cinco medalhas cada.

Bernardinho fez parte do time medalha de prata nos Jogos de Los Angeles-1984, como levantador reserva, mas destacou-se realmente ocupando outra posição no banco, a de técnico.

O treinador, de 53 anos, levou a seleção feminina pela primeira vez ao pódio em uma Olimpíada, um bronze em Atlanta-1996, e repetiu o mesmo feito quatro anos depois em Sydney.

O reconhecimento máximo aconteceu em Atenas-2004, quando guiou o time masculino ao ouro após completar um ciclo olímpico recheado de conquistas em praticamente todas as competições que disputou.

A final em Londres será a terceira consecutiva do treinador à frente da seleção masculina e dará a chance ao time de reconquistar o ouro que perdeu quatro anos atrás, para os Estados Unidos, na final em Pequim.

"Quando eu cheguei em 2001 no masculino não imaginava que nada disso fosse acontecer. Eu imaginava que a gente ia trabalhar muito e brigar por tudo, mas olhando para trás imaginar isso tudo é um pouco surreal", disse Bernardinho após a vitória arrasadora do Brasil por 3 sets a 0 sobre a Itália que classificou o time para enfrentar a Rússia na final em Londres.

Além das medalhas olímpicas, o treinador tem no currículo oito títulos da Liga Mundial, três Campeonatos Mundiais e dois títulos da Copa do Mundo.   Continuação...

 
O técnico Bernardinho comanda o Brasil na partida contra a Itália. Com a classificação brasileira para a final, ele passa a ter seis medalhas olímpicas, uma como jogador e cinco como treinador. REUTERS/Ivan Alvarado