Natália Falavigna sofre fratura em derrota no taekwondo

sábado, 11 de agosto de 2012 14:37 BRT
 

LONDRES, 11 Ago (Reuters) - A brasileira Natália Falavigna sofreu uma fratura no tornozelo direito em sua primeira luta do taekwondo nos Jogos Olímpicos de Londres, na qual foi derrotada pela sul-coreana Lee In Jongneste, neste sábado.

Após o combate, Natália foi levada para a policlínica da Vila Olímpica, onde foi submetida a uma radiografia.

"A lesão foi constatada e, mesmo se avançasse para a repescagem, a atleta não teria condições de competir. A atleta sempre deve ser preservada", disse José Alfredo Padilha, chefe-médico da missão brasileira em Londres.

Segundo o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Natália, única representante do taekwondo brasileiro a subir ao pódio em Jogos Olímpicos com o bronze em Pequim-2008, está imobilizada e em repouso.

A brasileira perdeu por 13 a 9 na categoria acima de 67 quilos logo em sua primeira luta. Ela teria que torcer para a sul-coreana para ter chances de ir à repescagem, mas a rival acabou derrotada na sequência.

"Faltou movimentação. Acho que torci o pé ainda no primeiro round", disse Natália, ainda sem saber que tratava-se de uma fratura.

"Infelizmente meu corpo chegou um pouco desgastado por causa das lesões e da pressa que tive em fazer esse ciclo olímpico, mas isso não é desculpa. Tinha que ter sido inteligente e ter virado o combate. Mas sem movimentação e contra uma atleta que tem muito recurso, uma atleta rápida como ela, dificulta muito", acrescentou ela.

"Fiquei muito vulnerável aos chutes no rosto, porque não conseguia fazer o step, estava evitando apoiar o peso do corpo no pé e cair com a carga em cima dele", explicou.

(Por Tatiana Ramil, em São Paulo)

 
Lutadora de taekwondo Natália Falavigna treina no Centro Olímpico do Brasil no Rio de Janeiro. A brasileira Natália Falavigna sofreu uma fratura no tornozelo direito em sua primeira luta do taekwondo nos Jogos Olímpicos de Londres, na qual foi derrotada pela sul-coreana Lee In Jongneste, neste sábado. 08/03/2012 REUTERS/Sergio Moraes