Marin garante Mano "no momento" e pede voto de confiança à seleção

terça-feira, 21 de agosto de 2012 18:57 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 21 Ago (Reuters) - Apesar das especulações sobre um enfraquecimento do técnico Mano Menezes após a perda do ouro olímpico em Londres, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, disse que a seleção está no caminho certo e que o treinador continua no cargo, e pediu um voto de confiança na equipe.

"Não há nenhuma razão para cogitar mudança no momento, estamos no caminho certo", afirmou o presidente da CBF nesta terça-feira ao anunciar mais um patrocinador para a seleção.

"Confio no técnico e na comissão técnica, no Andrés Sanchez (diretor de seleções) e temos etapas que já foram cumpridas e ao mesmo tempo vamos formando uma equipe, temos uma base, o que muito se cobrava", completou.

No entanto, ao ser questionado se poderia garantir que Mano será o técnico na Copa do Mundo de 2014, Marin não foi enfático.

"Não posso raciocinar em hipótese e sobre o futuro. Damos condições a ele para desenvolver seu trabalho com tranquilidade. Podem perguntar à comissão técnica se alguma vez tiveram pressão do Marin; tenho certeza que vão falar que não", disse.

"Espero que toda a comissão técnica esteja conosco até 2014, esses são nossos votos. Eles sabem que podem trabalhar totalmente tranquilos."

Desde a derrota por 2 x 1 para o México, na final olímpica do último dia 11, começaram a surgir na entidade rumores sobre mudanças na comissão técnica. Mais uma vez, foram cogitados nomes como os de Muricy Ramalho, atual técnico do Santos, e de Luiz Felipe Scolari, do Palmeiras, campeão do mundo com o Brasil em 2002.

"Não posso negar que são meus amigos e gosto muito dos dois", declarou Marin à Reuters.   Continuação...

 
José Maria Marin, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), fala durante coletiva de imprensa no Rio de Janeiro. Apesar das especulações sobre um enfraquecimento do técnico Mano Menezes após a perda do ouro olímpico em Londres, Marin, disse que a seleção está no caminho certo e que o treinador continua no cargo, e pediu um voto de confiança na equipe. 21/08/2012 REUTERS/Ricardo