ENTREVISTA-Olimpíada no Brasil vai sair bem. Já a Copa..

quinta-feira, 30 de agosto de 2012 13:17 BRT
 

Por Brian Winter

RIO DE JANEIRO, 30 Ago (Reuters) - O Brasil está tentando realizar um "salto triplo" sem precedentes em projetos de construção -- preparar-se para sediar a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016, ao mesmo tempo em que gastará quase 1 trilhão de reais na próxima década em rodovias e outros investimentos em infraestrutura para impulsionar a economia.

O crescente consenso é que o primeiro passo pode ser complicado.

Enquanto a Olimpíada será quase completamente concentrada no Rio de Janeiro, e portanto mais facilmente administrada, a Copa do Mundo será realizada em 12 cidades -- a maioria das quais com desafios financeiros e logísticos pela frente para concluir estádios e outras construções a tempo.

Talvez nenhuma outra companhia tenha uma visão mais próxima desses problemas do que a Odebrecht , o conglomerado gigantesco privado que está construindo quatro estádios da Copa do Mundo, além do Parque Olímpico, da Vila Olímpica e vários outros projetos para a Rio-2016.

E para eles, o contraste é claro.

"Os projetos centrais da Olimpíada estão ativos", disse Benedicto Barbosa da Silva Júnior, presidente-executivo da unidade de infraestrutura da Odebrecht, numa rara entrevista nesta semana. "Não tenho dúvidas de que tudo estará pronto a tempo... Se você passa pelas áreas destinadas à Olimpíada hoje, você vê os avanços".

"Hoje, eu estou mais preocupado com a Copa do Mundo do que com a Olimpíada", disse.

As preparações para os Jogos Olímpicos de 2008 em Pequim também foram atormentadas por preocupações a respeito do estado das principais instalações, assim como na Copa do Mundo de 2010 na África do Sul e a recém-terminada Olimpíada de Londres -- e quase a totalidade desses eventos não enfrentou problemas.   Continuação...