Platini critica estilo autocrático de presidente da Fifa

sexta-feira, 31 de agosto de 2012 16:02 BRT
 

Por Mike Collett

MÔNACO, 31 ago (Reuters) - O presidente da Uefa, Michel Platini, criticou o estilo autocrático do presidente da Fifa, Joseph Blatter, na sexta-feira, dizendo que decisões importantes sobre o futuro do futebol não foram debatidas pelo comitê executivo da Fifa.

O francês de 57 anos é contrário ao uso da tecnologia para a linha do gol, aprovada pela Fifa em julho, seguindo-se a uma mudança de opinião de Blatter há dois anos.

"Quando você fala sobre tecnologia, a Fifa não decidiu sobre a tecnologia para a linha do gol, mas sim o presidente Blatter", disse Platini a jornalistas em uma reunião informal em Monte Carlo.

"Ninguém no comitê executivo foi consultado nem ninguém de outro comitê da Fifa foi convidado a expor sua opinião. Foi apenas o presidente da Fifa, com o Ifab (o organismo que determina as leis do jogo). Ele está no comando e cabe a ele."

Blatter não fez segredo sobre seu desapreço pela tecnologia até um incidente em uma partida da Copa do Mundo de 2010 entre Inglaterra e Alemanha, quando uma bola chutada por Frank Lampard claramente ultrapassou a linha do gol, mas não foi vista pelos juízes.

No início daquele ano, Blatter afirmou que a questão estava fora da agenda, mas depois começou a defender a tecnologia, afirmando que, se ela pudesse ser 100 por cento confiável, ele a apoiaria totalmente.

Platini afirmou que a decisão do Conselho da Federação Internacional do Futebol (Ifab) tomada em julho para sancionar a tecnologia da linha do gol ficou somente a cargo de Blatter.

O Ifab abrange as quatro associações britânicas, que têm quatro votos e a Fifa, que também tem quatro votos. As propostas precisam de uma maioria de seis para virar lei.

Platini, que é membro do Comitê Executivo da Fifa, disse que a questão nunca foi debatida por ele nem por outros membros do comitê.

Platini é contra a tecnologia para a linha do gol. Em vez disso, prefere o sistema dos juízes assistentes adicionais, que foi adotado pela Uefa.