Comitê não punirá Pistorius por reclamação contra brasileiro

terça-feira, 4 de setembro de 2012 10:53 BRT
 

Por Toby Davis

LONDRES, 4 Set (Reuters) - O atleta sul-africano Oscar Pistorius não sofrerá nenhuma punição disciplinar por causa da sua explosão de raiva depois de ser derrotado pelo brasileiro Alan Oliveira na final da prova paralímpica dos 200 metros rasos para homens, disseram organizadores da Paralimpíada de Londres nesta terça-feira.

Momentos depois da prova, no domingo, Pistorius questionou a legitimidade da vitória de Oliveira, dizendo que seu rival havia instalado próteses longas demais, o que ampliava sua passada e estaria lhe dando uma vantagem artificial. Mas o Comitê Paralímpico Internacional (CPI) decidiu que as próteses do brasileiro eram legais.

Foi a primeira vez em nove anos que Pistorius perdeu a prova dos 200 metros. Apelidado de "Blade Runner" ("corredor da lâmina"), ele havia se tornado uma celebridade esportiva por se tornar o primeiro amputado a disputar uma prova olímpica entre atletas sem deficiências.

Na segunda-feira, Pistorius divulgou nota pedindo desculpas pela declaração e cumprimentando Oliveira pela vitória. Mas insistiu que seria necessário discutir as regras relativas ao comprimento das próteses. Os dirigentes paralímpicos já anunciaram que vão convocar uma reunião para avaliar a questão.

"Não haverá ação disciplinar contra Oscar por seus comentários", disse Craig Spence, diretor de comunicações do CPI. Mas ele recriminou o sul-africano por não ter "recorrido aos canais oficiais, em vez de simplesmente enviar uma mensagem de texto informal dizendo que precisamos nos reunir".

Na Paralimpíada de Londres, Pistorius ainda vai disputar as provas dos 100, 400 e 4 x 400 metros.

 
Medalhista de ouro Alan Oliveira (D), do Brasil, posa ao lado do sul-africano Oscar Pistorius, que levou a prata, no pódio durante cerimônia de vitória dos 200 metros rasos das Paralimpíadas de Londres. 03/09/2012 REUTERS/Stefan Wermuth