Premiê britânico pede desculpas por desastre de 1989 em estádio

quarta-feira, 12 de setembro de 2012 16:05 BRT
 

Por Peter Griffiths

LONDRES, 12 Set (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse nesta quarta-feira que "lamentava profundamente" as falhas e encobrimentos da verdade no desastre de Hillsborough em 1989, no qual 96 torcedores morreram ao serem esmagados pela multidão dentro de um estádio de futebol.

Cameron fez as declarações depois que um relatório independente apontou que a polícia na época tinha agido para desviar a culpa do pior desastre esportivo da Grã-Bretanha para os torcedores do Liverpool, para encobrir suas próprias falhas na resposta à tragédia.

As vítimas morreram em uma área cercada da arquibancada superlotada do estádio Hillsborough, em Sheffield, norte da Inglaterra, em uma tragédia que mudou a cara do futebol inglês e marcou o início de uma nova era de estádios modernos e com todos os espectadores sentados.

Em 1989, a Grã-Bretanha assisitu em choque às imagens angustiantes de torcedores jovens esmagados contra as grades de metal, corpos deitados no campo e espectadores usando painéis publicitários de madeira como macas improvisadas em uma tarde quente de primavera.

O relatório, emitido após uma investigação de dois anos sobre as mortes, apontou que a polícia havia tentado culpar os torcedores do Liverpool, retratando-os como agressivos, bêbados e sem ingressos, e tentando encher um estádio já lotado.

"A tragédia nunca deveria ter acontecido", disseram os autores do relatório em um comunicado. "Houve claras falhas operacionais em resposta ao desastre, e depois dele houve tentativas árduas de desviar a culpa para os torcedores."

Autoridades policiais editaram as declarações de testemunhas de seus oficiais sobre o dia para retratá-los de uma forma menos prejudicial, segundo o relatório. A resposta de emergência deles foi falha e mal organizada.

 
O primeiro-ministro britânico, David Cameron, pronuncia-se à Câmara dos Comuns após a publicação de um relatório independente sobre o desastre de 1989 de Hillsborough em Londres, no Reino Unido. 12/08/2012 REUTERS/Parlamento Britânico/Pool