Rússia espera gastar quase US$20 bi em Copa do Mundo de 2018

domingo, 30 de setembro de 2012 14:40 BRT
 

Por Gennady Fyodorov

MOSCOU (Reuters) - A Rússia planeja gastar quase 20 bilhões de dólares para sediar a Copa do Mundo de 2018, disse o ministro dos Esportes russo, Vitaly Mutko, neste domingo.

O torneio de um mês de duração será realizado em 11 cidades no maior país do mundo --do porto báltico de Kaliningrado a Yekaterinburgo, localizada aos pés dos Montes Urais, próximos à fronteira Europa-Ásia. A Fifa retirou duas cidades da lista final no sábado.

Mutko, que também preside o comitê organizador local, afirmou que o custo estimado é de 600 bilhões de rublos (19,23 bilhões de dólares), quase o dobro da soma original cogitada pelo então primeiro-ministro Vladimir Putin quando a Rússia venceu a campanha pelo torneio em dezembro de 2010.

"Estes não são os números finais. Podemos chamar estas cifras de estimativa aproximada", disse Mutko em coletiva de imprensa, acrescentando que metade do dinheito virá do governo federal.

Indagado quando os estádios estarão prontos, Mutko declarou: "Temos cinco arenas (em Moscou, São Petersburgo, Kazan, Sochi e Saransk) em construção. Na semana que vem, acho, começaremos a conceber mais quatro".

Joseh Blatter, presidente da Fifa que deu à Rússia nota "10 de 10" no sábado, novamente se derramou em elogios para os anfitriões.

"Estamos um ano adiantados. Esta é uma nova abordagem na organização de Copas do Mundo", afirmou Blatter. "Com esta abordagem já chegamos a este ponto, seis anos antes do início".

Mutko, entretanto, foi mais direto em sua avaliação.

"Hoje, nenhuma cidade está pronta, nem mesmo Moscou", disse.

A capital terá dois locais de competição --o estádio Luzhniki, de 90 mil assentos e que sediará a final, e a arena de 45 mil lugares que está sendo erguida pelo clube Spartak.

 
Ministro dos Esportes russo, Vitaly Mutko, comparece a coletiva de imprensa em Moscou. A Rússia planeja gastar quase 20 bilhões de dólares para sediar a Copa do Mundo de 2018, disse o ministro dos Esportes russo, Vitaly Mutko, neste domingo. 30/09/2012 REUTERS/Maxim Shemetov