Armstrong pode encarar detector de mentiras sobre doping

domingo, 14 de outubro de 2012 11:36 BRT
 

Por Julien Pretot

SÃO PAULO, 14 Out (Reuters) - Lance Armstrong pode passar por um detector de mentiras para limpar seu nome das acusações de doping, disse seu advogado neste domingo, no momento em que as repercussões do maior escândalo do ciclismo levou autoridades australianas a cogitar anistia pelas infrações.

O comitê de ciclismo da Austrália se reunirá nesta semana para decidir a ação contra Matt White, ex-colega de equipe de Armstrong que confessou ter usado doping e se demitiu da direção de esporte do time Orica-GreenEDGE.

Klaus Müller, presidente da entidade, disse que a anistia é uma das opções para descobrir quão grave é o problema na Austrália.

Outro ex-colega de equipe do norte-americano, Scot David Millar, afirmou que "o poder da omertà (código de silêncio das máfias italianas)" manteve os ciclistas quietos a respeito do doping durante anos, mas que isso mudou na esteira do relatório da Agência Anti-Doping dos Estados Unidos (Usada na sigla em inglês) que condenou Armstrong.

"Se você falasse, era segregado. Vejam o que aconteceu com o punhado que o fez. Esse é o poder da omertà. Mas não é mais assim", disse Millar, suspenso durante dois anos por doping em 2004, em entrevista ao jornal escocês Sunday Herald.

Armstrong deve perder seus inéditos sete títulos da Volta da França depois que a Usada publicou um relatório de mil páginas na quarta-feira que declara que o agora aposentado ciclista concebeu e participou de um esquema de doping elaborado e sofisticado para conquistar seu sucesso inigualável na prova francesa.

Armstrong sempre negou ter usado substâncias proibidas durante sua carreira brilhante, mas se recusou a questionar as acusações da Usada.

Seu advogado, Tim Herman, disse ao programa Sportsweek, da Radio 5 da BBC, que o ciclista texano pode passar por um teste de polígrafo para provar sua inocência.   Continuação...