Armstrong pagou motoqueiro para entregar EPO, diz ex-colega

segunda-feira, 15 de outubro de 2012 21:02 BRT
 

LONDRES, 15 Out (Reuters) - Lance Armstrong pagou um motoqueiro para que lhe entregasse a droga EPO durante a Volta da França de 1999, disse seu ex-colega Tyler Hamilton em um documentário de rádio transmitido na segunda-feira pela BBC.

O ciclista norte-americano, maior ganhador da Volta da França (sete títulos entre 1999 e 2005), teve todos os seus títulos cassados e foi banido do esporte pela Agência Antidoping dos EUA (Usada), que o acusou de ser um dos cabeças de um complexo esquema de distribuição e consumo de drogas proibidas.

"É, em 1999 tínhamos um motoqueiro que seguiu a Volta na maior parte das três semanas", disse Hamilton, que foi colega de Armstrong na equipe U.S. Postal entre 1998 e 2001.

"Ele ficava suficientemente perto dos hotéis onde nos hospedávamos, para aparecer a qualquer momento importante. Sabíamos que outras pessoas iriam assumir o risco, então assumimos também", acrescentou.

Hamilton disse que Amstrong pagou 15 a 20 mil dólares ao portador, e que, depois da conquista, o grupo se cotizou para lhe dar um relógio Rolex de ouro.

Hamilton, que já perdeu o seu título olímpico de 2004, prestou depoimento à Usada, que divulgou suas conclusões no fim de semana e concluiu que Armstrong foi um dos chefes do esquema de doping da equipe U.S. Postal.

Armstrong, de 41 anos, sempre negou ter usado doping, mas decidiu neste ano não responder às acusações da Usada.