Premiê britânico pede sanções duras contra Sérvia por racismo no futebol

quarta-feira, 17 de outubro de 2012 15:03 BRT
 

Por Mike Collett

LONDRES, 17 Out (Reuters) - O governo britânico pediu à Uefa nesta quarta-feira a imposição de duras medidas contra a Sérvia, e não apenas uma "irrisória multa", após suposto comportamento racista de torcedores sérvios em uma partida sub-21 contra a Inglaterra.

O zagueiro inglês Danny Rose disse que foi ofendido racialmente e apedrejado na cidade de Krusevac antes, durante e depois do jogo de terça-feira em que a Inglaterra venceu por 1 x 0, conseguindo se classificar para o Campeonato Europeu sub-21 do próximo ano em Israel.

Rose pediu que a Sérvia seja banida, mas a federação sérvia negou que houvesse gritos racistas no jogo e acusou o jogador de se comportar de "maneira vulgar" quando uma briga estourou em campo após o apito final.

Um porta-voz do primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse em um comunicado que "o primeiro-ministro está certamente ciente dos eventos".

"Ele está horrorizado com as cenas que vimos na Sérvia e estamos determinados a acabar com o racismo internacional e em casa e estamos dando o nosso total apoio à reclamação da FA (Associação de Futebol da Inglaterra) sobre esta questão."

"Hugh Robertson (ministro do Esporte) escreveu ao presidente da Uefa instando-os a investigar esta questão. Esperamos sanções duras se quisermos acabar com o racismo do futebol."

A Sérvia há tempos tem problemas com racismo e violência no futebol. Eles foram forçados a jogar uma partida eliminatória da Euro 2012 com portões fechado depois que torcedores se revoltaram em um jogo em Gênova, em 2010.

"Não é bom dar multas irrisórias como foi feito no passado, não é bom o suficiente que as pessoas apertem as mãos e esqueçam. Precisamos de sanções adequadas", acrescentou Cameron.   Continuação...