UEFA pedirá a capitães europeus para usar braçadeiras antiracismo

segunda-feira, 22 de outubro de 2012 20:23 BRST
 

Por Brian Homewood

GENEBRA, 22 Out (Reuters) - Os capitães das equipes que jogarão partidas pela Liga Europa e pela Liga dos Campeões serão convidados a usar braçadeiras antiracismo, como parte de uma campanha contra a discriminação, disse a UEFA, entidade que dirige o futebol europeu, nesta segunda-feira.

A UEFA afirmou que estava apoiando uma campanha da FARE, um grupo europeu com o objetivo de livrar o futebol do racismo, pedindo aos capitães para usar as braçadeiras que trazem as palavras "Unidos Contra o Racismo".

Frequentemente criticada por não fazer o suficiente para acabar com o racismo, a UEFA anunciou que mensagens em vídeo de 30 segundos seriam apresentadas em telões nos estádios antes dos jogos, e as equipes serão acompanhadas por crianças vestindo camisetas do "Unidos Contra o Racismo".

"A UEFA está empenhada em combater a discriminação no futebol e incentivar os torcedores de futebol a se juntar a nós em nossos esforços para valorizar o respeito aos jogadores, funcionários, adversários e simpatizantes de todas as nacionalidades, origens religiosas, orientação sexual e origens étnicas", disse o presidente da UEFA, Michel Platini em um comunicado.

"Por mais de 10 anos, temos trabalhado ao lado da rede FARE e vamos continuar a lutar pela união no futebol."

Um comunicado da UEFA acrescentou que "quarenta partidas em todas as competições de clubes de prestígio da UEFA irão restabelecer o compromisso da UEFA em assegurar que o futebol europeu esteja livre de racismo, da intolerância e da xenofobia através de uma série de atividades que será testemunhada por milhares de fãs nos estádios e milhões mais na televisão".

Críticos afirmam que o racismo só vai parar se a UEFA descontar pontos das equipes ou expulsá-las de competições. Na semana passada, a UEFA multou o Lazio em 40.000 euros (52.400 dólares) pelo comportamento racista de seus torcedores durante um jogo da Liga Europa contra o Tottenham Hotspur.

 
Presidente da UEFA, Michel Platini, é visto nesta foto de 1o de outubro durante coletiva de imprensa em São Petersburgo, na Rússia. 01/10/2012 REUTERS/Alexander Demianchuk