Grande Prêmio da Índia aguarda chegada de dono da Force India

quinta-feira, 25 de outubro de 2012 15:12 BRST
 

Por Alan Baldwin

GREATER NOIDA, Índia (Reuters) - A placa com o nome de Vijay Mallya brilhava na porta do boxe da Force India no Grande Prêmio indiano na quinta-feira, enquanto uma placa do patrocinador da equipe tinha as palavras 'Fly Kingfisher'.

O dono indiano da equipe de Fórmula 1 e autoproclamado ‘rei dos bons tempos', no entanto, não era visto em nenhum lugar. A sua companhia aérea, a endividada Kingfisher Airline, não está voando para nenhum lugar neste momento.

O paradeiro do magnata tem sido objeto de interesse considerável, enquanto seus funcionários na companhia aérea protestam por não receber salário desde março e a agência reguladora da aviação no país suspendeu a licença da Kingfisher.

Embora os funcionários da Kingfisher tenham concordado na quinta-feira em retomar o trabalho após uma reunião com o diretor-executivo da empresa, o barão da aviação não é visto há semanas na Índia nem em nenhum circuito da Fórmula 1.

Uma matéria publicada no jornal Times of India na quinta-feira sugeriu que o Airbus particular de Mallya pode ser confiscado caso ele pouse na Índia, por causa das obrigações supostamente devidas às autoridades aeroportuárias.

Outra corte emitiu um mandado contra ele por causa de cheques sem fundos dados a uma operadora de aeroporto indiana. O mandado foi cancelado este mês depois que as contas foram acertadas.

O presidente adjunto da Force India, Bob Fernley, falando à Reuters no escritório de Mallya, minimizou esse tipo de especulação.

"Ele virá à Índia amanhã (sexta-feira) à noite ou na manhã de sábado", afirmou ele. "Até onde eu sei, trata-se apenas dos negócios normais. Chegada sábado, assistir aos treinos e vir para a corrida no domingo."

Fernley disse que Mallya estava na Europa e havia participado de um encontro de equipes da Fórmula 1, com o chefe comercial da F1 Bernie Ecclestone em Paris na segunda-feira.