27 de Outubro de 2012 / às 13:52 / 5 anos atrás

Grande Prêmio da Índia supera os dias de cão de 2011

Por Amlan Chakraborty

GREATER NOIDA, Índia, 27 Out (Reuters) - Os dias de cão acabaram e a poeira que também baixou no Grande Prêmio da Índia em sua segunda aparição no calendário da Fórmula 1.

A corrida inaugural no Circuito Internacional de Buddh foi prejudicada por cães selvagens na pista empoeirada durante os treinos e problemas no paddock que pareciam longe de acabar.

No entanto, o fim de semana da corrida foi um sucesso, com 94 mil espectadores, e os organizadores estão confiantes de que este ano seus esforços irão se consolidar.

Há mais área de escape, uma “Escadaria para o Paraíso” não terminada agora está concluída e fechada e o chefe comercial da Fórmula 1 Bernie Ecclestone deu ao evento uma aprovação definitiva quando chegou.

“Soberbo. Grande, grande avanço em tudo. Fantástico”, disse o homem mais poderoso do esporte aos repórteres.

O presidente da federação local de automobilismo Vicky Chandhok, pai do piloto indiano Karun, parecia aliviado.

“Eu levei Charlie Whiting, diretor de corridas da FIA, ao redor do circuito para uma inspeção. Ele normalmente leva três horas fazendo isso, mas ele fez uma volta e disse ‘perfeito’”, disse Chandhok aos repórteres.

“Ele disse que a área de escape está tão suave que ele poderia jogar golfe, de tão boa.”

“Os dirigentes da Fórmula 1 estão tão satisfeitos que não seria surpresa se for (escolhido) um dos mais bem-organizados Grandes Prêmios do mundo. Houve um grande avanço desde o ano passado”, acrescentou Chandhok.

ENDOSSO DOS PILOTOS

Até agora não houve repetição da interrupção canina do ano passado.

“Nós aprendemos com os erros. Tudo foi muito bem controlado por voluntários no ano passado. Não há pânico, não houve nenhum incidente”, declarou Chandhok.

“Tudo está fluindo agora e todos elogiaram o circuito. Mostre-me um piloto entre os 24 que não amou a pista.”

O vencedor do ano passado Sebastian Vettel concordou. “Eu adorei o layout da pista no ano passado, mas não apenas porque venci a corrida”, disse o piloto da Red Bull.

“Com uma velocidade média de 235 km/h, o circuito é o segundo mais rápido do ano, depois de Monza. Há muita mudança de elevação ao redor da curva que aumenta a graça... é como uma montanha russa”, disse o alemão, de olho em sua quarta vitória seguida.

“É realmente um dos circuitos mais desafiadores do calendário para os pilotos.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below