Agência antidoping não recorrerá da sentença contra Armstrong

sábado, 3 de novembro de 2012 12:57 BRST
 

NOVA YORK, 3 Nov (Reuters) - A Agência Mundial Antidoping (Wada) anunciou que não vai recorrer da decisão de banir do esporte o ciclista Lance Armstrong e tirar dele sete títulos na Volta da França.

A Wada tinha a possibilidade de contestar a decisão da Agência Antidoping dos Estados Unidos (Usada na sigla em inglês), a qual foi referendada pela União Ciclística Internacional (UCI).

"A Wada não tem nenhuma preocupação com todo o processo nem com o peso esmagador das provas", disse o presidente da entidade, John Fahey, através de um comunicado divulgado na sexta-feira.

"Pelo contrário, nossa opinião é de que as ações da Usada têm destacado a necessidade de que atletas estejam disponíveis em todos os casos para fornecerem evidências e ajudarem a livrar o esporte do doping."

"Este caso terminou com uma pena correta e apropriada para o atleta em questão e tem servido como uma revelação para o mundo dos esportes. Portanto, a Usada deve ser aplaudida", disse Fahey.

A Wada, que foi envolvida em uma guerra de palavras com a UCI sobre como lidar com o caso, também pediu à entidade dos ciclistas que divulgue detalhes de sua investigação independente sobre doping generalizado.

O ciclista texano, de 41 anos, sobrevivente de câncer, negou o doping e nunca foi pego em exames, mas foi suspenso depois de decidir não se defender de acusações contra ele.

A Usada afirmou que testes apontaram o uso prolongado de várias substâncias dopantes em Armstrong, como a eritropoietina (EPO), transfusões de sangue, de testosterona, corticosteróides, hormônio de crescimento e agentes mascarantes.

A organização reuniu depoimentos de 11 companheiros de equipe de Armstrong, que também foram investigados pela Usada naquele que foi descrito como o programa de doping mais sofisticado jamais visto no esporte.

(Reportagem de Julian Linden)