Bruno Senna se diz orgulhoso de histórico após corte da Williams

quarta-feira, 28 de novembro de 2012 13:48 BRST
 

LONDRES, 28 Nov (Reuters) - Bruno Senna disse que estava orgulhoso de ser o pontuador mais consistente para a Williams nesta temporada em resposta ao anúncio da equipe de que ele perderá seu lugar em 2013.

O brasileiro, que terminou em 16o no campeonato de pilotos, com 31 pontos em sua primeira temporada completa de corridas, foi trocado pelo piloto de testes da Williams Valtteri Bottas, que irá se juntar a Pastor Maldonado, da Venezuela, na próxima temporada.

"Desde o início do meu programa com a Williams eu aceitei que eu tinha que dividir o carro com Valtteri Bottas em 15 sextas-feiras, como parte de sua preparação para uma provável estreia em 2013", disse Senna em um comunicado nesta quarta-feira.

"Foi extremamente gratificante ser o pontuador mais regular da equipe e, para mim, demonstrar o meu ritmo em todas as 20 corridas", acrescentou Senna, que marcou pontos em 10 delas.

"Eu aprendi muito e melhorei consideravelmente ao longo da temporada. Tive uma carreira relativamente curta até agora e sinto como se eu já tivesse percorrido um longo caminho em poucos anos."

Maldonado traz um patrocínio substancial com ele, da petrolífera estatal de seu país PDVSA, e também é um vencedor depois de sua vitória na Espanha este ano, o primeiro triunfo da Williams desde 2004.

Contudo, ele se mostrou propenso a acidentes, levando a sugestões de que seu poder financeiro e não a sua capacidade o pouparam de ser cortado às custas de Senna, sobrinho do falecido tricampeão mundial Ayrton Senna.

Essa sugestão foi rejeitada pelo diretor-executivo da Williams, Toto Wolff, em uma conferência por telefone nesta quarta-feira.

"Eu prefiro ter alguém com grande velocidade e uma perna direita pesada, que comete erros, do que alguém que não consegue ser tão rápido", disse ele. "Pastor aprendeu muito com seus erros, o que é difícil para um piloto, e eu acho que nós vamos ver um piloto muito melhor no próximo ano."

(Reportagem de Martyn Herman)