Parreira e Felipão querem aproximar torcida do time brasileiro

quinta-feira, 29 de novembro de 2012 14:57 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 29 Nov (Reuters) - De volta à equipe brasileira depois de passagens pelas seleções de Portugal e África do Sul, a dupla Luiz Felipe Scolari e Carlos Alberto Parreira quer aproximar a seleção do torcedor para transformar a pressão por vitórias em apoio e títulos.

Felipão, que em 2002 criou a chamada "Família Scolari" na equipe nacional, aparentemente não deixou totalmente de lado o conceito, mas criou uma nova ideia e mais ampla: união entre seleção e população.

"Vamos fazer de novo composição de união, de ambiente e apoio da população para chegar à Copa confiante", disse o técnico a jornalistas na sua primeira entrevista na volta à seleção brasileira, nesta quinta-feira.

"Não sei se a cara da seleção vai ser feia ou bonita, mas acho que o povo vai nos apoiar e incentivar", completou.

A nova proposta foi endossada pelo coordenador técnico Parreira, que chega para ser um anteparo ao treinador da seleção. "Cabe a nós fazer com que as pessoas se envolvam e haja apoio popular", declarou o novo coordenador técnico.

De terno e gravata, Parreira e Felipão, lembraram de suas passagens por Africa do Sul e Portugal, respectivemente, para traçar um novo caminho na relação entre torcedores e jogadores.

Com Portugal, Felipão foi vice-campeão europeu, perdendo o título em casa para a Grécia. Já Parreira comandou os ‘bafana bafana', como são conhecidos os sul-africanos, na Copa de 2010, e não conseguiu levar o time da casa à segunda fase.

"Se tivesse que trocar qualquer título pelo que vivi em Portugal, eu trocaria... foi feita uma revolução em Portugal", disse o treinador.

Parreira acrescentou: "Só quem dirige uma seleção sede de uma Copa sabe a sensação e a emoção que é. O povo dizendo para nós darmos orgulho com a nossa seleção, e esse apoio popular é muito importante."   Continuação...