ENTREVISTA-Seedorf quer abrir portas para jogador europeu no Brasil

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012 19:19 BRST
 

Por Brian Homewood

RIO DE JANEIRO, 5 Dez (Reuters) - A contratação de um jogador europeu famoso era algo impensável no Brasil até o Botafogo trazer o holandês Clarence Seedorf, em junho, aos 36 anos.

Seis meses depois, o meia de origem surinamesa, com passagens por Ajax, Sampdoria, Inter de Milão, Real Madrid e Milan, além da seleção da Holanda, se tornou um jogador enormemente respeitado no Brasil, e uma figura paternal para seus colegas de equipe.

"Acho que abri uma porta, que é possível ter uma ótima experiência no Brasil", disse Seedorf à Reuters. "O Brasil geralmente era um país exportador, e agora eles demonstraram que também podem importar, e isso tem a ver com o crescimento econômico no país. Veja Neymar, que ainda está jogando . , um cara como ele já estaria na Europa há dois anos, então isso é positivo."

Há 25 anos, há um fluxo quase incessante de jogadores brasileiros para o exterior, com centenas deles deixando o país todos os anos para atuar em campeonatos mais lucrativos e organizados.

Até recentemente, a ideia de um movimento contrário era quase inimaginável.

A maioria dos latino-americanos se dirigia para Argentina, Chile, Colômbia e México, enquanto os brasileiros chegavam a se perguntar por que o país mais vitorioso do futebol precisaria de jogadores estrangeiros.

Essa situação mudou dramaticamente nos últimos anos. Os brasileiros passaram a respeitar os jogadores de outros países sul-americanos, e o boom econômico do Brasil revigorou o futebol local, permitindo lucrativos patrocínios.

Embora Seedorf seja casado com uma brasileira e conheça o país, sua mudança ainda gera estranheza, já que jogadores europeus geralmente encerram suas carreiras no Oriente Médio, Estados Unidos ou Austrália.   Continuação...

 
Jogador do Botafogo, Clarence Seedorf, sorri durante entrevista concedida à Reuters no Rio de Janeiro. A contratação de um jogador europeu famoso era algo impensável no Brasil até o Botafogo trazer o holandês Seedorf, em junho, aos 36 anos. 30/11/2012 REUTERS/Ricardo Moraes