Racismo é um problema social, e não do futebol, afirma Blatter

sábado, 15 de dezembro de 2012 15:28 BRST
 

Por Alastair Himmer

TÓQUIO, 15 Dez (Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, acredita que livrar o futebol do racismo será impossível enquanto ele ainda for um problema na sociedade como um todo.

Blatter disse no sábado que iria conversar com o presidente da Uefa, Michel Platini, sobre o tipo da multa aplicada à Sérvia pelos incidentes em uma partida de seleções sub-21 contra a Inglaterra em outubro.

"Eu levarei a discussão para o presidente da Uefa", disse Blatter a jornalistas depois de uma reunião do comitê executivo da Fifa em Tóquio, no Japão, onde acontece o Mundial de Clubes da Fifa.

A entidade que comanda o futebol europeu, a Uefa, anunciou que pode apelar da punição, que seria uma multa de 80.000 euros (105.000 dólares) emitida pelo seu próprio comitê disciplinar contra a Sérvia. Platini também está no Japão para o Torneio.

"Eu não sei se ele tem alguma influência em seu próprio comitê disciplinar", acrescentou Blatter. "A postura da Fifa é definitiva: tolerância zero para a discriminação e o racismo", afirmou. "Precisamos mostrar muita força contra o racismo e a discriminação no futebol".

A Associação de Futebol inglesa criticou a Uefa por não mandar uma mensagem forte o bastante sobre o racismo, alegando que o nível da multa não seria alto o bastante, depois das cenas desagradáveis na cidade de Krusevac.

A sanção foi 20.000 euros menor que a multa aplicada pela Uefa ao atacante dinamarquês Nicklas Bendtner na Eurocopa 2012 por ter mostrado o logotipo de uma casa de apostas em sua cueca enquanto comemorava um gol.

"O racismo e a discriminação existem no futebol", disse Blatter. "Mas eles não vem do futebol, e sim de nossa sociedade. É uma questão de solidariedade e de educação".   Continuação...