Dirigente Bin Hammam renuncia, e Fifa o bane do futebol

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012 17:56 BRST
 

17 Dez (Reuters) - Mohamed Bin Hammam, ex-candidato à presidência da Fifa envolvido em suspeitas de corrupção, renunciou a todos os seus cargos no futebol e foi banido do esporte para o resto da vida, disse a Fifa na segunda-feira.

O catariano de 63 anos, ex-presidente da Confederação Asiática de Futebol (CAF), havia sido inicialmente banido do futebol por causa de um suposto caso de suborno na época em que ele era candidato à presidência da entidade que dirige o futebol mundial.

A punição foi suspensa em julho pela Corte de Arbitragem do Esporte, mas a Fifa repetiu a dose na segunda-feira, desta vez por causa de "conflitos de interesse" na época em que ele dirigia a CAF e que foi membro do Comitê Executivo da Fifa, entre 2008 e 2011.

Um recém-adotado Código de Ética da Fifa prevê que um dirigente pode ser banido do futebol mesmo que renuncie antes. Ele foi acusado de violar sete artigos do código, inclusive um sobre suborno.

O dirigente, eleito sem oposição para um terceiro e último mandato de quatro anos à frente da CAF em janeiro de 2011, sempre declarou sua inocência, e diz ter sido perseguido por se opor a Joseph Blatter, o presidente da Fifa.