Longe da perfeição, Brasil vai arrumando a casa para Copa de 2014

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012 20:57 BRST
 

Por Mike Collett

SÃO PAULO, 17 Dez (Reuters) - O Brasil, como a maioria das nações, tem seus problemas, mas um deles parece estar desaparecendo: a ideia de que o país não estará pronto para receber a Copa do Mundo dentro de 18 meses.

Embora ainda haja preocupações envolvendo a Arena Amazônia, em Manaus, e aeroportos como o de Belo Horizonte, além de modernização de estradas e a construção de alguns hotéis, o Brasil parece estar no caminho para realizar uma Copa satisfatória.

"Nos últimos 40 anos, só a Olimpíada de Montreal, em 1976, e a Olimpíada de Atenas, em 2004, ainda tinham preocupações com construções no final. Isso não vai acontecer aqui", disse Ricardo Trade, executivo-chefe do Comitê Organizador Local da Copa (COL).

No entanto, um clima geral de ceticismo persiste no país. Muitos brasileiros acham que, de fato, os estádios ficarão prontos a tempo, mas há a sensação de que o sistema de transportes, os aeroportos e a capacidade hoteleira podem não dar conta.

Há também a ideia de que alguns estádios - construções caras, que expressam o crescente poderio financeiro da sexta maior economia mundial - estão fadados a virar elefantes brancos, e que grande parte das obras terá estouros orçamentários.

Durante duas semanas, representantes da Fifa, do COL, do governo federal e dos Estados, entre outras autoridades, acompanharam 20 jornalistas estrangeiros por seis sedes da Copa que receberão também jogos da Copa das Confederações, em 2013.

O andamento das obras varia - dos praticamente concluídos Mineirão (MG) e Castelão (CE) aos ainda "crus" Maracanã (RJ) e Estádio Nacional Mané Garrincha (DF).

Mas não existe sensação de pânico.   Continuação...

 
Construção continua no Estádio do Maracanã, em preparação para a copa das confederações em 2013, no Rio de Janeiro. O Brasil, como a maioria das nações, tem seus problemas, mas um deles parece estar desaparecendo: a ideia de que o país não estará pronto para receber a Copa do Mundo dentro de 18 meses. 08/12/2012 REUTERS/Gary Hershorn