Chefe de candidatura olímpica descarta risco de terremoto em Tóquio

terça-feira, 8 de janeiro de 2013 10:28 BRST
 

Por Alastair Himmer

TÓQUIO, 8 Jan (Reuters) - A preocupação com terremotos não afeta as chances de Tóquio ser escolhida como sede da Olimpíada de 2020, disse o chefe da candidatura japonesa nesta terça-feira.

A cidade entrou com cautela na disputa depois de perder para o Rio de Janeiro na disputa para sediar os Jogos de 2016, e num momento em que o Japão ainda se recupera do tsunami que provocou uma crise nuclear em 2011.

"Não dá para prever com nenhuma certeza onde e quando os terremotos irão acontecer", disse Tsunekazu Takeda a jornalistas. "Eles podem potencialmente acontecer em qualquer país. A reação ao terremoto é a coisa mais importante, e estar pronto como nação caso isso ocorra."

Tóquio foi a primeira cidade da Ásia a receber uma Olimpíada, em 1964, e a casa de apostas britânica William Hill coloca a cidade como favorita, pagando 4/6, o que indica uma chance maior do que as concorrentes Istambul (5/2) e Madri (3/1).

Apesar do poderio econômico de Tóquio e da sua forte infraestrutura, Takeda foi questionado sobre os riscos implicados em um terremoto. "No Japão, os procedimentos relativos a desastres e as diretrizes arquitetônicas são muito rígidos", disse.

"No desastre de 2011, não tivemos vítimas em Tóquio. Os prédios realmente não sofreram nenhum dano. Salientamos ao COI (Comitê Olímpico Internacional) que os prédios de Tóquio podem resistir a terremotos."

Ele acrescentou que as autoridades locais estão dispostas a melhorar a resistência das instalações esportivas, e teriam sete anos para isso.

As três cidades candidatas --Madri em sua terceira candidatura consecutiva, e Istambul na quinta-- apresentaram na terça-feira seus dossiês ao COI em Lausanne, na Suíça.   Continuação...