Cristiano Ronaldo defende Mourinho e pede apoio de torcedores

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013 15:56 BRST
 

MADRI, 10 Jan (Reuters) - Cristiano Ronaldo apelou aos torcedores do Real Madrid para deixar o técnico José Mourinho em paz e apoiar a equipe depois de algumas partidas em casa nervosas, onde o treinador foi vaiado no Bernabeu.

O atacante português tem desviado a atenção de seu compatriota com atuações notáveis, marcando duas vezes contra o Real Sociedad pelo Campeonato Espanhol no domingo, e contra o Celta de Vigo pela Copa do Rei na quarta-feira.

O artilheiro do Real, com 174 gols em 172 jogos, que perdeu para Lionel Messi o prêmio de Melhor Jogador do Mundo na segunda-feira, está suspenso para o próximo jogo contra o Osasuna pelo Campeonato Espanhol, no sábado.

"Eu tenho que pedir que eles (os torcedores) parem com isso agora", disse Ronaldo a jornalistas após a vitória da equipe que garantiu vaga nas quartas-de-final da Copa do Rei contra o Valencia.

"O chefe vai ficar, ainda temos muito que podemos ganhar este ano. Ele está no comando e ele que toma as decisões, os torcedores e os jogadores devem ajudá-lo."

"As pessoas têm mostrado que estão descontentes, mas chega disso agora. Eles têm de apoiar o chefe e a equipe. Isso afeta os jogadores em campo. Se vencermos a Copa e a Liga dos Campeões, terá sido um bom ano."

O Real encontra dificuldades para repetir o ataque dinâmico que garantiu ao time o título da liga na última temporada e eles caíram 16 pontos atrás do arquirrival e líder Barcelona na classificação.

Os desempenhos inconsistentes combinados com o estilo de confronto de Mourinho indicam que ele pode sair, e a recente decisão de abrir mão do capitão e favorito dos torcedores Iker Casillas incomodou partes da base de suporte mais tradicional do Real.

(Reportagem de Mark Elkington)

 
Jogador do Real Madrid, Cristiano Ronaldo, comemora após marcar gol durante partida contrao Real Sociedad em Madri. O português apelou aos torcedores do Real para deixar o técnico José Mourinho em paz e apoiar a equipe depois de algumas partidas em casa nervosas, onde o treinador foi vaiado no Bernabeu. 06/01/2013 REUTERS/Juan Medina