Feliz apesar disso, City pretende apelar contra cartão vermelho de Kompany

domingo, 13 de janeiro de 2013 18:21 BRST
 

By Mark Meadows

LONDRES, 13 de janeiro (Reuters) - O técnico do Manchester City, Roberto Mancini está radiante pela primeira vitória do seu time, contra o Arsenal, no Campeonato Inglês desde 1975, mas o brilho do momento foi um pouco ofuscado pelo cartão vermelho recebido pelo capitão Vincent Kompany.

Mancini disse que os campeões vão recorrer da decisão tomada pelo árbitro Mike Dean aos 75 minutos na vitória de 2 a 0 de domingo, depois que o jogador deu um carrinho em Jack Wilshire.

"Vamos apelar pelo Vincent. Temos problemas porque estamos ficando sem muitos jogadores," disse Mancini aos repórteres, dizendo que foi um carrinho com um pé, quando ele se antecipou à jogada e pegou a bola.

"É impossível um jogador perder três jogos por nada." "Não foi uma falta, não foi cartão vermelho."

Com Sergio Aguero, Yaya Toure e Samir Nasri, todos fora, o sucesso do City foi ainda mais gratificante para Mancini, embora eles tenham tido muita grande sorte, quando o zagueiro Laurent Koscielny foi expulso, depois de 10 minutos de jogo.

O italiano não teve dúvidas de que o primeiro incidente mereceu o cartão vermelho e um pênalti.

"As regras são o último homem," ele disse do lance em que Koscielny agarrou Edin Dzeko pela cintura na área e o jogou no chão.

O atacante bósnio Dzeko perdeu o pênalti, ao jogar a bola no goleiro, na trave e no goleiro novamente, mas o City logo ficou na frente com a jogada excelente de James Milner, aos 21 minutos. Dzeko marcou, fazendo 2 a 0 logo depois do intervalo.

O segundo colocado City permanece sete pontos atrás do lidero Manchester United, que venceu o Liverpool por 2 a 1, em casa.