Apostas e manipulações de partidas são grandes ameaças, diz Platini

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013 19:25 BRST
 

PARIS, 21 Jan (Reuters) - As apostas ilegais e a manipulação dos resultados de jogos são as maiores ameaças ao futuro do futebol, disse na segunda-feira o presidente da Uefa, Michel Platini.

Embora o racismo e a violência entre torcedores também assolem o esporte, Platini considera que o fim da incerteza sobre os resultados pode acabar com a paixão pelo jogo e com o próprio esporte.

"O racismo e a violência não afetam apenas o futebol, e sim o público. Por outro lado, estamos diretamente preocupados com a manipulação de resultados", disse ele à rádio francesa RTL, quando questionado sobre qual seria a maior ameaça ao futebol.

"Para mim, essa é a grande vergonha. Se amanhã formos assistir a um jogo já sabendo o resultado, o futebol está morto."

As autoridades esportivas enfrentaram nos últimos anos vários casos de armações para beneficiar apostadores, inclusive um que custou a perda de dois pontos ao Napoli, atual vice-líder do Campeonato Italiano.

Falando sobre o racismo, Platini, há seis anos chefe da entidade que dirige o futebol na Europa, elogiou o meio-campista Kevin-Prince Boateng, do Milan, por ter abandonado o gramado após sofrer insultos num recente amistoso. Seus colegas o seguiram no protesto.

"Foi maravilhoso. Eu realmente gostei muito. Até liguei para o Milan para cumprimentá-los", afirmou o francês.

Platini, carrasco do Brasil na Copa de 1986, não quis comentar as especulações de que tentará ser presidente da Fifa, limitando-se a dizer que irá "continuar lutando para que o futebol continue sendo um jogo".

Ele reiterou sua disposição de brigar para que a Copa de 2022, no Catar, seja realizada durante o inverno boreal, para evitar o calor das outras épocas nesse país árabe.

"Em 2010, na África do Sul, a temperatura era de 5oC às 17h. Foi uma celebração, mas não vi nada . Temos de jogar a Copa do Mundo no melhor momento para realizar a Copa do Mundo."

(Reportagem de Gregory Blachier)