Felipão opta por experiência e avisa que time ainda não é o ideal

terça-feira, 22 de janeiro de 2013 18:54 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 22 Jan (Reuters) - Para o primeiro jogo da seleção brasileira em 2013, o técnico Luiz Felipe Scolari manteve parte da base montada por Mano Menezes nos últimos dois anos, mas trouxe mais experiência à equipe, que terá a pressão de disputar em casa a Copa das Confederações este ano e a Copa do Mundo em 2014.

Felipão, que substituiu Mano no fim de novembro, fez nesta terça-feira sua primeira convocação desde o retorno ao comando do time brasileiro, para um amistoso contra a Inglaterra, em 6 de fevereiro, e avisou que o time ainda não será o ideal.

A cota de mais maduros é formada por Ronaldinho Gaúcho, Fred, Luis Fabiano e Júlio César, que já disputaram Copas do Mundo, e por jogadores como Miranda, 28, e Dante, 29, sem história na seleção mas com posição de destaque em seus clubes nas ligas europeias.

Da base montada por Mano Menezes ficaram Diego Alves, Daniel Alves, David Luiz, Paulinho, Ramires, Oscar, Lucas, entre outros que já haviam sido chamados.

No ataque, o novo treinador da seleção escolheu atletas de mais peso e experiência, como Luis Fabiano, Fred, Hulk e Neymar, que, apesar da juventude, pode ser considerado um "veterano" de seleção. Leandro Damião, muitas vezes chamado por Mano, ficou de fora.

"A experiência sim foi importante (para chamar os atacantes), mas eles foram muito bem em 2012... tenho certeza que vão dar conta do recado", disse Felipão em entrevista coletiva.

Fred e Luis Fabiano não devem jogar juntos, mas o treinador quer uma referência dentro da área adversária.

Logo em seu primeiro jogo, o técnico campeão mundial de 2002 terá pouco tempo para treinar antes do amistoso com a Inglaterra, no estádio Wembley. Os jogadores vão se apresentar nos dias 3 e 4 de fevereiro e a partida está marcada para o dia 6. A preparação do Brasil será na base da conversa e de vídeos preparados pela comissão técnica.

Felipão acredita que sua primeira lista ainda está longe da ideal e, somente depois da série de amistosos em março, contra Itália, Rússia e talvez Chile, é que o time vai ser aproximar daquilo que ele gostaria de ver em campo.   Continuação...

 
O técnico Luiz Felipe Scolari concede entrevista após convocação nesta terça-feira no Rio de Janeiro. REUTERS/Sergio Moraes