31 de Janeiro de 2013 / às 18:08 / em 5 anos

Novo técnico vai priorizar "comprometimento" na seleção sub-20

RIO DE JANEIRO, 31 Jan (Reuters) - O comprometimento com o time e o comportamento dos atletas serão valores tão ou mais relevantes do que a qualidade técnica na nova era das categorias de base do Brasil, segundo o novo treinador da seleção brasileira sub-20, o ex-jogador Alexandre Gallo.

A filosofia começou a ser idealizada por ele e pelo novo coordenador das categorias de base do Brasil, o ex-jogador Bebeto, a partir do fracasso do time sub-20, que foi eliminado ainda na primeira fase do Sul-Americano, este mês. O Brasil, atual campeão da competição e do mundo na categoria sub-20, conseguiu apenas uma vitória na fase classificatória.

“Quero criar um novo entendimento dentro da seleção brasileira; comprometimento vai ser a palavra de ordem, à frente até da capacidade técnica”, disse ele em entrevista à Reuters nesta quinta-feira, após a cerimônia de lançamento da nova camisa da seleção principal. O novo uniforme será utilizado pelo time principal nos amistosos e jogos oficiais deste ano.

“É melhor você não ter um jogador individualista, e é melhor ter um jogador que se envolva mesmo que a gente perca na qualidade técnica, mas ganhe na garra, determinação e envolvimento. O melhor jogador é o que eu quero, desde que venha com esses outros conceitos juntos”, completou.

Gallo foi convidado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para assumir a vaga do técnico Emerson Ávila, que comandou o Brasil no Sul-Americano.

Palavras como compromisso, comprometimento e orgulho da seleção se tornaram um mantra dentro da nova estrutura. Um jogador mais voluntarioso, altruísta e com espírito de grupo pode levar vantagem na disputa com outro mais talentoso.

“A seleção de base não pode ser só um caminho para marcar a história de um jogador. O jogador tem que ser um grande atleta para depois chegar à seleção”, avaliou Gallo. “Quero mudar o conceito de que a seleção é uma escada para que atleta possa ganhar pessoalmente; tem que pensar mais na coletividade. Compromisso é o ponto principal.”

Gallo vai acumular provisoriamente as seleções sub-15 e sub-17 do Brasil, mas pretende ao longo do ano ajudar na escolha de profissionais que sigam a nova mentalidade.

O novo treinador, que não acumula nenhum título de expressão, encara o momento como o maior desafio da sua carreira. “É um desafio gigantesco, um passo importante na minha carreira e um sonho”, definiu.

Alexandre Gallo é mais um profissional brasileiro do futebol a se render ao momento vivido pela Espanha, atual campeã do mundo e dona do time mais admirado, o Barcelona.

O treinador destaca que, além do talento de Xavi, Fabregas, Iniesta e cia, o comprometimento e a solidariedade estão presentes na seleção e no time catalão.

“O futebol está muito igual e geralmente o time mais comprometido ganha partidas e títulos”, declarou ele.

Alinhado com Bebeto, Gallo também advogada em favor do modelo espanhol, que construiu na base um conceito que se estende até a seleção principal.

“A base está para servir o profissional com conceito do time principal e diminuir o distanciamento”, afirmou. “A Espanha joga um futebol que nos agrada; com passe, movimentação e, acima de tudo, muito comprometimento. Não é à toa que eles hoje são o time que mais troca passes, mais rouba a bola; coisas que eram nossas e vamos tentar resgatar isso”, finalizou.

Reportagem de Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below