Vitória do PSG comprova credenciais europeias, diz Leonardo

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013 11:13 BRST
 

MADRI, 13 Fev (Reuters) - A vitória de 2 x 1 do Paris St. Germain sobre o Valencia, na terça-feira, prova que o clube francês está se tornando uma grande força europeia, mas não pode se deslumbrar com isso, disse o ex-jogador brasileiro Leonardo, diretor de futebol da equipe francesa.

O PSG apresentou um futebol eficiente e ofensivo no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões, na Espanha, mas o resultado ficou ligeiramente ofuscado no final, quando o time francês cedeu um gol e teve o atacante Zlatan Ibrahimovic expulso.

Mesmo sem contar com ele no jogo de volta do dia 6, em Paris, o PSG continua como favorito para avançar às quartas de final pela primeira vez desde a temporada de 1994-95, quando foi eliminado pelo Milan na semifinal.

"Acho que passamos uma mensagem forte", disse Leonardo. "Não deveríamos nos esquecer de onde viemos, onde estávamos há um ano e meio", acrescentou o brasileiro, que jogou no Valencia entre 1991 e 1993.

"Construir uma equipe que mostre esse nível de confiança e calma ao chegar a Valência é um sinal de que estamos em boa forma nessa competição. É claro que os últimos cinco minutos não foram ideais, mas acho que hoje alcançamos uma vitória histórica."

Antes da terça-feira, o Valencia havia vencido todos os seus jogos por torneios europeus jogando em casa contra times franceses. Além disso, o time estava invicto no estádio Mestalla pela Liga dos Campeões desde a derrota de 1 x 0 para o Manchester United em setembro de 2010 -- uma série de nove partidas.

O PSG, controlado por investidores do Catar, gastou 250 milhões de euros (337 milhões de dólares) em contratações nas últimas quatro temporadas, trazendo talentos como os argentinos Ezequiel Lavezzi e Javier Pastore e o meia brasileira Lucas.

(Reportagem de Iain Rogers)

 
O ex-jogador brasileiro Leonardo, diretor esportivo do PSG, acompanha o jogo do time francês contra o Valencia ao lado do jogador David Beckham, em Valência. 12/02/2012 REUTERS/Sergio Perez